Maio amarelo: Número de acidentes de trânsito em Campo Grande aumenta 13% neste ano

| 28/05/2022
- 08:34
acidentes
Acidente na região central de Campo Grande. (Foto: Arquivo/ Henrique Arakaki/Midiamax)

Maio amarelo, mês de conscientização no trânsito, está quase no fim. Entretanto, até a última quinta-feira (26), registros de acidentes indicam aumento de 13% neste ano, levando em consideração os dados do mesmo período de 2021, em Campo Grande, segundo o monitoramento municipal. O número de pacientes internados na Santa Casa também sofreu leve alta.

Dados da Agetran-MS (Agência Municipal de Trânsito) apontam que o acréscimo é de 13%, pois entre janeiro e maio de 2022, foram 3.768 sinistros, sendo que o período do ano anterior foi de 3.269.

A taxa de internação também elevou em 11%. O balanço do hospital ressalta que de janeiro a maio do ano passado, 1.197 pacientes precisaram ser internados após terem sido de acidente de trânsito. Em contrapartida, em 2022, de janeiro até a última terça-feira (24), o número de internados foi de 1.340.

Maurício Henrique dos Santos Rodrigues, 24 anos, viveu na pele a sensação da imprudência do trânsito. Nesta semana, ele completa seis meses de ter acordado do coma. Ele ficou oito dias internado na Santa Casa depois de sofrer uma colisão gravíssima na Avenida Afonso Pena, a caminho do trabalho.

Com o impacto, ele foi arremessado. Além dos danos materiais com a moto, ele teve traumatismo craniano, precisando de e um longo período de recuperação. “Perdi 1,5 litros de sangue por hemorragia interna, quebrei o crânio em cinco partes, o maxilar e o nariz. Fiquei entubado em coma. Quando acordei, fiz uma cirurgia plástica para reconstrução", conta.

Raio-x de Maurício após o acidente
Crânio de Maurício sofreu fratura grave. (Foto: Arquivo Pessoa/Midiamax)

Mesmo após o trauma, Maurício diz estar recuperado e ter renascido. "O alerta que dou é sempre prestar atenção, se precaver e sinalizar. Por causa da imprudência da jovem, eu me acidentei e fiquei em estado gravíssimo. [Ela] não ligou nem para saber se eu acordei do coma, então, se eu estivesse morto, ela tocaria a vida dela como se nada tivesse acontecido, ficaria apenas o luto para família, amigos e minha filha”.

Veja também

Últimas notícias