Polícia / Trânsito

Jovem que matou namorada em acidente vai responder por homicídio doloso

A Polícia Civil concluiu o inquérito sobre a morte da estudante Bárbara Wsttany Amorim Moreira, 21 anos, e manteve o indiciamento do namorado dela, Ricardo França Junior, por homicídio doloso. O delegado Ricardo Meirelles, da 1ª Delegacia de Polícia, entendeu o que já teria sido levantado inicialmente, que o rapaz estava embriagado e assumiu o […]

Dayene Paz Publicado em 17/07/2020, às 14h55 - Atualizado às 14h57

Ricardo conduzia carro quando aconteceu acidente que matou Bárbara. Imagem: Divulgação
Ricardo conduzia carro quando aconteceu acidente que matou Bárbara. Imagem: Divulgação - Ricardo conduzia carro quando aconteceu acidente que matou Bárbara. Imagem: Divulgação

A Polícia Civil concluiu o inquérito sobre a morte da estudante Bárbara Wsttany Amorim Moreira, 21 anos, e manteve o indiciamento do namorado dela, Ricardo França Junior, por homicídio doloso. O delegado Ricardo Meirelles, da 1ª Delegacia de Polícia, entendeu o que já teria sido levantado inicialmente, que o rapaz estava embriagado e assumiu o resultado.

Bárbara estava no banco do passageiro com o namorado Ricardo, quando o rapaz, que seguia em alta velocidade na via, perdeu o controle, bateu no muro de uma residência e capotou no bairro Cabreúva, em Campo Grande. A jovem morreu no local. Ricardo está preso pelo crime e tenta liberdade.

Segundo o delegado Meirelles, o inquérito será encaminhado a Justiça nesta sexta-feira (17), sendo que não houve alteração dos fatos já levantados anteriormente pelo delegado plantonista, Antônio Ribas Júnior, da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro, no dia do acidente.

“Todos os indícios coletados apontam para o que foi relatado no auto de prisão em flagrante, de embriaguez ao volante e homicídio doloso”, afirmou Meirelles.

Além de estar em uma velocidade “muito além” do permitido, o delegado explica que as informações coletadas na investigação comprovam que o rapaz comprou bebida momentos antes do acidente. “Não condizendo com horário, local, ele não tinha nenhuma justificativa para que corresse”, disse. Sobre um desnível que possa ter ocasionado o acidente, o delegado afirma que seria “mais um motivo para que reduzisse a velocidade”.

A polícia ouviu cerca de 10 pessoas durante a investigação. “Todas as testemunhas ouvidas, antes do acidente no local onde ele comprou bebida, de populares e até socorristas, ajudaram a concluir que ele não ligou para o resultado ao dirigir bêbado, uma conduta irresponsável pela morte”, ressaltou.

A defesa do estudante Ricardo França deve entrar com o pedido da revogação da prisão preventiva do rapaz, mesmo ainda sem os resultados dos exames de sangue que foram pedidos pelo juiz, que deu um prazo de 48 horas.

Na última quarta-feira (15), a família de Bárbara distribuiu uma nota à imprensa. Na nota, os pais da jovem afirmavam o apreço pelo estudante e que o acidente teria sido uma ‘fatalidade’. Ainda segundo a carta distribuída o momento é de dor e não de procurar culpados e sim de união. Por fim, a família pedia na carta respeito a dor que sentem e também a dor do Ricardo, que nunca quis que isso (acidente) tivesse acontecido.

Acidente

O acidente ocorreu às 20h17 de sábado, dia 11 de julho. As imagens obtidas pelo Jornal Midiamax, através de câmera de vigilância da região, mostram o Peugeot em alta velocidade pela rua 11 de Outubro, bairro Cabreúva.

Ricardo teria perdido o controle do carro quando passou por um desnível no cruzamento da rua Jacarandá. Após, o carro colidiu na parede de uma residência e capotou. Bárbara estava no banco do passageiro e foi arremessada para fora do veículo. Ela teve esmagamento de crânio e morreu.

No carro, de acordo com a polícia, foram encontradas quatro garrafas de cerveja 600 ml e uma garrafa fora do veículo.

Jornal Midiamax