Policiais do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco e Resgate a Assaltos e Sequestros) prenderam nesta terça-feira (6) um homem, de 29 anos, apontado como um dos chefes do grupo criminoso que furtou R$ 1,5 milhão de um Banco em Campo Grande. O suspeito foi preso em São Paulo, nesta segunda fase da Operação Bypass.

Conforme a Polícia Civil, além do mandado de prisão, o Garras cumpriu outros dois mandados de busca e apreensão contra o suspeito, que é apontado nas investigações como um dos chefes da organização criminosa que atua nacionamente na prática de crimes na modalidade de “Cangaço Digital”.

As ordens judiciais foram expedidas após representação do Garras em investigação de furto qualificado mediante fraude com utilização de dispositivo informático, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Segundo as investigações, o homem preso nesta terça-feira, foi identificado após a prisão de funcionário de um Banco e pessoas que atuavam como intermediárias.

Falso sequestro e prisões

Em outubro de 2023, o gerente de um banco foi preso após um falso sequestro que envolveu membros do PCC (Primeiro Comando da Capital).

No dia 11 de dezembro do mesmo ano, a Polícia deflagrou a Operação Bypass e prendeu dois gerentes de banco após o furto de mais de R$ 1 milhão de um uma instituição financeira em Campo Grande. O crime aconteceu em agosto e conforme a Polícia, os funcionários usaram um dispositivo fraudulento.

Um terceiro preso disse em depoimento ao Garras que o falso sequestro foi planejado em São Paulo, por membros da facção que eram especialistas em invadir computadores.