A polícia acredita que Laura Ramirez, de 42 anos, foi assassinada pelo marido e sobrinho. Os suspeitos simularam que a vítima teria cometido um suicídio. O fato aconteceu neste sábado (6), em uma aldeia de , município distante aproximadamente 220 quilômetros de Campo Grande.

A vítima foi encontrada com uma camiseta no pescoço, amarrada em uma árvore no terreno da sua residência, localizada na Aldeia Bororó, segundo informou o Dourados News.

Equipes das polícias Civil, Militar e Perícia estiveram no local, sendo que, inicialmente, o caso estava sendo tratado como suicídio, porém, notou-se a falta de alguns pertences da casa da vítima e valores de benefícios sociais.

Ainda conforme o site local, parentes próximos da vítima, entre eles, seus filhos, seu convivente e dois sobrinhos, foram conduzidos à para prestar depoimento.

Durante os depoimentos e em contato com o legista para avaliação do cadáver, foi descoberto que a vítima tinha sofrido asfixia mecânica por estrangulamento e não enforcamento, o que indicava um crime de homicídio.

Desta forma, policiais do SIG passaram a confrontar as testemunhas, quando o convivente da vítima de 50 anos e o sobrinho de 33 anos, passaram a apresentar versões contraditórias dos fatos.

Ambos residiam com a vítima e foram confrontados em suas versões, bem como com as imagens do local e fotos da vítima, momento em que acabaram confessando o crime.

Durante a confissão, ambos confirmaram que mataram a vítima para subtrair o que estava com ela. Além disso, afirmaram que, após os fatos, tentaram simular que a mulher teria se suicidado, a amarrando com uma camiseta em um tronco de árvore.

O caso foi registrado como latrocínio, visto que foi roubado um botijão de gás da residência.