A Adepol-MS (Associação dos Delegados de Polícia de Mato Grosso do Sul) desaprovou o grupo de quatro advogados que ultrapassou fita de isolamento durante investigação da execução do proprietário de uma oficina mecânica, Sérgio Pereira, de 51 anos, na noite da última terça-feira (19).

Em nota emitida nesta sexta-feira (22), a Associação declarou serem “inadimissíveis” medidas de desacato às autoridades.

A execução de Sérgio Pereira ocorreu no início da noite de terça-feira. Na ocasião, os advogados invadiram a área pela equipe policial, mesmo com ordens de não adentrarem o local isolado.

“Advogados ultrapassaram a fita de isolamento, desobedecendo a ordem legal da autoridade policial, comprometendo a preservação e coleta de vestígios e ao final, insuflando a população contra a Polícia, gerando perigo de agressão aos policiais”, descreve trecho da nota.

Segundo a Adepol-MS, a Associação iniciou as investigações para identificar os advogados envolvidos no caso para que haja aplicação das devidas medidas administrativas-disciplinares.

“A ADEPOL/MS adotou as medidas necessárias para a identificação dos advogados, para que ocorra a devida investigação criminal e administrativo-disciplinar, visando a respectiva responsabilização em todas as esferas, posto que toda e qualquer violação das prerrogativas e da integridade física e moral dos Delegados de Polícia associados é inadmissível e será sempre combatida incansavelmente”, encerra nota.

Executado no Rita Vieira

Sérgio Pereira foi assassinado na noite desta terça-feira (19), no bairro Rita Vieira, em Campo Grande. O proprietário da oficina chegava em casa, conduzindo seu veículo, um Fiat Strada, onde seu filho, um adolescente de 15 anos, está no banco do passageiro, quando dupla de motociclistas chegou disparando.

O homem foi atingido com tiros no rosto, costas e nuca. O filho dele foi ferido no abdômen.

Uma testemunha contou que a dupla estava com uma capa preta de chuva e voltou minutos após o crime para o ‘confere’ e ter certeza de que Sérgio havia morrido. Vizinhos relatam ter ouvido cerca de 6 tiros.