Mais de 300 moradores do bairro Romero Cué, em Pedro Juan Caballero, cidade localizada na fronteira com , invadiram a residência onde funcionava a ‘boca de fumo' e colocaram fogo no local. Os vizinhos estão revoltados com a morte brutal da menina Luz Maida, de 3 anos. Câmeras de segurança flagraram um homem carregando a menina no sábado (22).

Investigações da Polícia Nacional apontam que a criança foi deixada no local pela própria em troca de 30 doses de crack, na última sexta-feira, e encontrada morta no sábado em uma casa abandonada.

O corpo da menina foi levado para Assunção, onde passou por perícia. Há suspeitas de que Luz Maida tenha sido abusada sexualmente. A crueldade cometida contra a menina aumentou o clima de tensão entre os vizinhos e o dono da ‘boca', que ameaçam fazer um linchamento do responsável pelo ponto de venda de drogas.

Neste domingo (23), o promotor de Justiça José Luis Torres, nomeado para trabalhar no caso, indiciou a mãe da menina e um adolescente de 17 anos, que estariam diretamente ligados ao crime.

Fontes do Ministério Público do apontam que há forte presunção de que a menina foi dada pela mãe ao adolescente em troca de drogas. Trinta doses de crack, no valor de G. 100 mil, foi o que a mãe viciada teria recebido por ter desistido da filha.

Ao Jornal Midiamax uma das autoridades policiais em Ponta Porã, que acompanha o caso, disse que a família possui um “histórico de tragédias” e que a mãe estava sob efeito de drogas e se manteve “fria”, enquanto ocorriam as buscas pela menina.

Um vídeo que teria sido gravado próximo ao local onde a menina de 3 anos foi encontrada mostra um dos suspeitos carregando a vítima no colo. O homem que aparece nas imagens veste semelhantes às que o adolescente, de 17 anos, apreendido pelo crime, utilizava.