Uma quadrilha de contrabandistas é alvo da Polícia Federal, na manhã desta quinta-feira (19), que cumpre mandados em cinco estados do Brasil, entre eles Mato Grosso do Sul. A quadrilha usava freteiros para trazer produtos da fronteira.

A Operação Grade A, realizada em conjunto com a , tem como objetivo reprimir a prática dos crimes de descaminho, organização criminosa e lavagem de dinheiro. São cumpridos 70 mandados de Preventiva e 95 mandados de Busca e Apreensão nos estados do Paraná, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, e Piauí.

A investigação apurou um esquema de importação clandestina de eletrônicos procedentes do Paraguai. As mercadorias são adquiridas por vendedores atacadistas e introduzidas irregularmente no mercado brasileiro para posterior revenda.

Ainda segundo a PF, a investigação apontou que os eletrônicos eram trazidos ao Brasil através de entradas secundárias na fronteira entre Mato Grosso do Sul e o Paraguai, armazenados em pontos de apoio na região fronteiriça, e então transportados para outras regiões do país.

Freteiros eram contratados para fazer os trabalhos da transposição da fronteira e entrega das mercadorias ao adquirente. O transporte até o destino era realizado mediante uso de veículos de pequeno porte equipados com compartimentos ocultos ou através de caminhões, casos em que os volumes eram acondicionados em meio a cargas lícitas de frios e grãos.

Estima-se que os grupos investigados tenham internalizado milhões em mercadorias desde o início da pandemia de Covid-19, quando ocorreu o fechamento prolongado das fronteiras entre o Brasil e o Paraguai.

Nome da operação

O nome da operação, “Grade A”, é referência aos celulares recondicionados que são importados e negociados com frequência pelos alvos da investigação.