Marcos Bezerra de Melo, de 46 anos, preso nesta terça-feira (23) pela morte da cabeleireira Jackeline Aparecida de Souza Galvão, em dezembro de 2021, usava documento falso do estado de e trabalhava em uma loja de , vendendo jaquetas. Ele foi localizado em Foz do Iguaçu, na fronteira com o , mas o crime ocorreu na , a 120 quilômetros da Capital.

Foi apreendida uma carteira de motorista junto a Marcos, com data de emissão em agosto de 2018 na cidade de Osasco, interior de São Paulo. O documento de identidade falso, que consta na carteira, também seria do estado de São Paulo.

Marcos foi preso pela Polícia Nacional do Paraguai, em Ciudad del Este, na fronteira com Foz do Iguaçu. Ele estava com mandado de em aberto e tentou usar o documento falso quando foi abordado pelos agentes. Contudo, a Polícia Civil de MS já desconfiava que ele estava escondido no país vizinho, desde janeiro deste ano.

Foto: Reprodução/ Polícia Nacional do Paraguai

Filha da vítima também foi baleada

O crime aconteceu na madrugada do dia 12 de dezembro de 2021A suspeita é de que o autor não aceitava o fim do relacionamento com a vítima. Além de atirar em Jackeline, ele ainda teria tentado atirar contra o filho dela, de 10 anos. A filha, de 20 anos, entrou na frente para defender a criança e foi atingida no braço.

Jackeline foi levada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos. A filha dela se recuperou do ferimento. Logo após o crime, o advogado do suspeito chegou a dizer que seu cliente se apresentaria na delegacia na mesma semana dos fatos, mas a apresentação não aconteceu.

“Ele falou que se apresentaria, mas não aconteceu. Depois ele desapareceu, nunca mais tive notícias dele”, disse ao Jornal Midiamax, Acrísio Venâncio, advogado do suspeito, em janeiro deste ano.