A conveniência localizada no Santo Eugênio, onde pai e filho, identificados como Aparecido Donizete Martins, de 63 anos, e Naique Matheus Sotareli Martins, de 28 anos, já foi flagrada com máquinas do jogo do bicho.

A ocorrência foi em agosto de 2022, quando a polícia prendeu dois homens por tráfico de drogas. Um deles relatou que teria vendido uma arma de fogo ao proprietário de uma conveniência no Santo Eugênio.

Então, os policiais foram ao local, que é de propriedade, a qual Aparecido e Naique eram responsáveis, e encontraram um revólver calibre .38 com cinco munições de mesmo calibre. Além disso, encontraram duas máquinas de jogo do bicho.

No entanto, a acusação para contravenção por jogos de azar foi arquivada a pedido do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul).

No processo, o MPMS embasou o arquivamento alegando ausência de indícios que comprovem que as máquinas apreendidas estavam, de fato, sendo utilizadas pelos dois para exploração de jogos de azar. Isso porque, conforme a peça, as máquinas estavam nos fundos da conveniência, segundo relatos dos PMs que fizeram a apreensão e não havia pessoas utilizando as máquinas.

Como a denúncia que levou os policiais ao local era de posse de arma de fogo, sem haver qualquer relato de que no local funcionaria o jogo do bicho, o MPMS decidiu arquivar o inquérito.

Já em relação à arma de fogo encontrada com Aparecido, ele foi condenado à pena de 1 ano e 2 meses de detenção no regime semiaberto. A sentença é do dia 28 de junho de 2023.

Pai e filho executados

Aparecido Donizete Martins, de 63 anos, e Naique Matheus Sotareli Martins, de 28 anos, estavam sentados em uma mesa da conveniência quando a dupla de atiradores chega e faz vários disparos, na cabeça e tórax das vítimas.

Pelas imagens de câmeras de segurança é possível ver as vítimas sentadas na mesa do bar, onde também funciona um espetinho. Os dois conversam enquanto Aparecido está tomando cerveja e o filho mexendo no celular.

Quando, em determinado momento, dois homens com casaco preto e capacetes – um vermelho e outro preto – chegam correndo e começam a disparar contra as vítimas, que sequer perceberam a aproximação dos atiradores. A dupla atira várias vezes contra pai e filho e um deles chega a esperar por um segundo para garantir que Aparecido está sem vida.

Segundo moradores da região, Aparecido é apontado como dono de uma arma utilizada em um assassinato ocorrido no mesmo bairro, anos atrás. A esposa de Aparecido Donizete estava aos fundos do comércio onde morava com o marido e escutou os tiros. Ao sair, ela se deparou com o marido e enteado mortos. A mulher, de acordo com a polícia, entrou em pânico e teve que ser atendida pelo Corpo de Bombeiros.