A iniciou os trâmites para solicitação de extradição de Thiago Gabriel Martins da Silva, de 34 anos, indiciado pelo assassinato do garagista Carlos Reis Medeiros de Jesus, conhecido como “Alma”. O crime aconteceu no dia 30 de novembro de 2021, na Avenida Gunter Hans, no Bairro Jardim Centenário em Campo Grande.

Conforme consta no processo, a investigação apontou que a vítima caiu em uma emboscada armada por Thiago, conhecido como “Especialista do PCC”. Ele teria atraído o garagista para a empresa dele sob promessa de pagamento de uma dívida.

No local, o comparsa Vitor Hugo de Oliveira Afonso, teria esfaqueado a vítima e em seguida, Thiago teria atirado em Alma. Além de Thiago e Vitor, Kelison Kauan da Silva, também foi indiciado pelo crime. Conforme inquérito policial, ele teria ajudado a ocultar o cadáver que não foi encontrado.

No Brasil, o mandado de prisão expedido pelo juiz Aluizio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do de Campo Grande, permanece em aberto e, por este motivo, Thiago é considerado foragido.

No documento protocolado na última sexta-feira (27), pelo Núcleo de Internacional, o DRCI (Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional) solicita que o magistrado entre em contato com o departamento para a obtenção da lista de documentos exigidos para solicitação de extradição.

Thiago também foi incluído à lista vermelha de procurados pela Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal).

Prisão na Bolívia

Thiago, que consta no Banco Nacional de Monitoramento de Prisões como foragido pelo homicídio, foi preso no departamento de Beni, na Bolívia, por envolvimento com o tráfico de drogas. A prisão ocorreu durante uma operação no dia 20 de agosto deste ano. Ele estava com granadas e armamento militar.

As operações que culminaram na prisão de Thiago, na Bolívia, eram de busca pelo narcotraficante uruguaio Sebastián Marset. O primeiro avião apreendido, branco com listras vermelhas, matrícula CP-3175, foi encontrado em Santa Rosa, carregado com 406 quilos de cocaína.

droga estava “camuflada” em embalagens semelhantes a tijolos, e provavelmente seria trazida para o Brasil, segundo a polícia.

As ações aconteceram em um povoado ao norte de Santa Ana de Yacuma, onde foi encontrado outro avião azul e branco, matrícula CP-1482. No interior, os policiais detectaram amostras de cloridrato de cocaína.

Saiba Mais