Uma organização criminosa que usava Mato Grosso do Sul como rota para o tráfico de cocaína é alvo da , na manhã desta quarta-feira (26). São cumpridos mandados em 14 estados brasileiros, entre eles Mato Grosso do Sul. A organização teria lucrado cerca de R$ 300 milhões.

A Operação Rota Caipira foi deflagrada contra tráfico internacional de cocaína que a organização criminosa fazia trazendo a droga da Bolívia, Peru e , com destino aos estados do norte e nordeste brasileiros. São cumpridos 195 mandados, sendo 28 mandados de prisão preventiva, 95 de busca e apreensão.

Foi feita a apreensão de 16 aeronaves, sequestro de três propriedades rurais e bloqueio de valores, que totalizaram R$ 300 milhões. Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Federal de Araguaína/Tocantins.

As investigações começaram em novembro de 2020 com a apreensão de 815 quilos de cocaína, na cidade de Tucumã, pela Polícia Militar do estado do Pará, após troca de informações com a Delegacia de Polícia Federal em Araguaína.

Organização criminosa

A organização criminosa adquiria a cocaína de fornecedores, na Bolívia e Peru, e fazia o transporte por meio de complexa estrutura aérea até pontos estratégicos localizados nos estados do Pará, Tocantins e Maranhão, sendo as capitais São Luís, Teresina e Fortaleza, a princípio, o destino.

Mas, a investigação não descartou que a droga também tenha tido como destino países da Europa.

Cerca de 400 policiais federais, servidores da ANP (Agência Nacional de Petróleo) e (Agência Nacional de Aviação Civil), bem como equipes da Polícia Militar dos estados do Tocantins, do Maranhão e do Piauí e equipe do grupamento aéreo da Polícia Militar do Tocantins participam da operação.