A mulher, de 30 anos, que ateou fogo na academia do ex, no Bairro , em , na terça-feira (19), disse em depoimento que queimou o que era dela, já que tinha ajudado no investimento do local. O local teve prejuízo de R$ 8 mil, um dia antes de ser inaugurado.

À polícia, ela contou que tem relacionamento com o sócio da academia há 5 anos, cada um na sua casa e juntos tem dois filhos, de 1 ano e outro de 1 mês. A mulher ainda tem outros dois filhos de 8 e 11 anos. 

Segundo relato dela, tem um histórico de violência doméstica sofrida pelo ex e que ele lhe devia R$ 2 mil, mas se negava a pagar. O valor teria sido usado na compra dos tatames.

No dia anterior, eles passaram a discutir quando ela disse que queria se separar. Na manhã do dia do incêndio eles estavam em uma viagem para outra cidade e a mulher teria recebido um tapa após cobrar o ex sobre o valor. Ele teria a mandado procurar seus direitos se quisesse dinheiro, foi então que ela resolveu entrar no local e com querosene ateou fogo nos tatames.

À polícia, a mulher contou que a intenção era apenas destruir os tatames, mas que o fogo se fortaleceu e ficou alto, atingindo o prédio, por isso fugiu. Disse, ainda, estar arrependida de ter agido dessa forma, mas que fez por estar desesperada e ter sido inclusive agredida.

O ex namorado e sócio da academia disse que o prejuízo total é de cerca de R$ 8 mil, entre forro, tatame e outras estruturas.

Ele já apresenta outra versão para os fatos. Disse que namoraram por três anos e que tem um filho de 1 mês em comum e que a mulher não aceita o fim do relacionamento. Ele negou ter a agredido.

A mulher foi presa por um policial de que viu quando ela saiu da academia após iniciar as chamas.

Incêndio

Vizinhos relataram que ela pediu para pular o muro de uma residência para acessar a academia, mas acabou não conseguindo.

Conforme testemunhas, ela conseguiu pular o muro de uma mecânica próxima, e entrou na varanda, juntou todos os materiais da academia e ateou fogo.

Corpo de Bombeiros foi acionado, no entanto, o fogo já estava sendo controlado com ajuda de vizinhos. Cerca de 1.500 litros de água foram necessários para os bombeiros terminarem de apagar as chamas.

(Henrique Arakaki, Jornal Midiamax)