O homem de 45 anos, procurado pela polícia de pela morte do médico José Roberto Lopes Ruela, no último domingo (19) e que foi preso na noite desta sexta-feira (24) em já foi morador da cidade. Ele se envolveu em um acidente de trânsito e fugiu do local sem prestar socorro à vítima.

Segundo informações da Polícia Militar, o fugitivo já tinha trabalhado em Dourados e voltou para a cidade com a intenção de vender a caminhonete L200 roubada do médico paulista. Por volta de 17h30 desta sexta, na Avenida Marcelino Pires, ele atropelou uma motociclista de 28 anos de idade e fugiu do local.

Ele confessou o crime, ocorrido em uma localidade de 10 mil habitantes localizada na região metropolitana de São José do Rio Preto (SP). O médico, de 68 anos tinha dado emprego ao criminoso em sua chácara, onde passava férias.

Informada sobre o caso, a PM abordou a caminhonete na Avenida Presidente Vargas, na Praça Antônio João. Quando checaram os dados, os policiais descobriram que o veículo era roubado.

Durante a abordagem o condutor confessou que tinha matado o médico paulista a marteladas e roubado a caminhonete dele, além de ter transferido R$ 5 mil da vítima para sua conta.

Ele também contou que usou parte do dinheiro foi usada para comprar um celular. O latrocida disse que saiu quarta-feira de Uchoa com destino a Dourados, para vender a L200 branca, ano 2017.

Entenda o caso

Ele afirmou que foi abordado pelo médico há cerca de duas semanas, enquanto caminhava por uma de São José do Rio Preto. José Roberto teria oferecido emprego para ele na chácara, onde passava as férias.

O acusado contou que ficou uma semana no sítio da vítima, fazendo limpeza. Criminoso também relatou que quando foi a um supermercado com a vítima, no sábado (18), memorizou a senha do cartão. Em seguida, foi até um bar, ingeriu bebidas alcoólicas e voltou para a chácara do médico.

O suspeito disse que, ao chegar no imóvel, o médico teria passado a mão em seu órgão genital, motivo pelo qual ele teria agredido a vítima com um soco, inicialmente. “Ele caiu, eu achei que estava morrendo e pensei ‘vou acabar de matar'”, afirmou.

José Roberto foi morto com três golpes de martelo na cabeça e o corpo encontrado na quinta-feira (23) por um sobrinho, que desconfiou do sumiço do tio.