Dorly Ferreira Azevedo, de 22 anos, executado com quatro tiros, na noite de quarta-feira (15), em Jardim, a 239 quilômetros de Campo Grande, já havia sido preso em 2020, depois da descoberta que ele mantinha em casa um depósito de drogas para a comercialização.

Ele foi preso no dia 22 de outubro de 2020, junto de seu irmão. Os policiais descobriram que Dorly, que morava com uma adolescente, mantinha em sua residência maconha e fazia a revenda, uma espécie de boca de fumo. Na época de sua prisão, os policiais ainda encontraram uma espingarda modificada.

No celular de Dorly foram encontradas várias mensagens das negociações de drogas. “Tem um pá salva?” e “eu quero vinte de brau, você tem?”, diziam mensagens. Dorly foi executado com quatro tiros, sendo dois nas costas, um no ombro e outro nas mãos.

A execução

O crime aconteceu por volta das 23 horas, quando um morador ouviu disparos e ao sair viu que Dorly havia sido executado a tiros. Já o outro rapaz que estava com Dorly foi ferido por seis disparos, sendo um em cada braço, cada perna, tórax e costas. Ele foi socorrido para o hospital, mas devido à gravidade dos ferimentos deve ser transferido para . Os autores estavam em uma motocicleta e com camisetas nos rostos. 

Saiba Mais