Moradores das imediações da Avenida Aeroclube, na Vila Sobrinho, contam que foram acordados e surpreendidos com as dezenas de disparos que mataram, na madrugada deste sábado (26), Rogério Campos de Moraes. Moradores, a princípio, não conheciam a vítima executada e acreditam que se trata de uma execução. O bairro, segundo eles, é tranquilo. Ninguém relatou casos de mortes violentas nas imediações.

Segundo os moradores, eram por volta de 5h da manhã. Um homem de 38 anos que mora há cerca de um ano por ali disse que se surpreendeu com o caso.

“É um bairro muito tranquilo, nunca tinha visto algo assim. Acordei com os tiros. Foi muito tiro, ouvi uns 15. Sai pra ver o que estava acontecendo e quando vi já tinha gente no chão, um morto…”, comenta o homem, que pediu sigilo em sua identificação.

Também sob condição de sigilo, um de 72, que há décadas mora no bairro, confirmou a tranquilidade da Vila Sobrinho e que jamais viu algo parecido por ali. “Já vi briga, mas nunca um homicídio. Eu já estava acordado quando aconteceu. Mas quando saí, já tinha gente na rua, aí que fui entender o que ‘tava' acontecendo”, detalhou.

disparos carro vila sobrino
Carro foi alvejado na Vila Sobrinho. (Fala Povo, Midiamax).

Uma moradora de 42 anos comentou que estava dormindo com a filha quando foi surpreendida com os disparos. “Ficamos muito assustadas, a gente nunca viu isso por aqui. Ficamos dentro de casa e só depois fomos conferir o que estava acontecendo. Nunca vi esse rapaz aqui perto, parece algo premeditado. Talvez seja de outro bairro e acabou acontecendo aqui”, avalia.

Entenda o caso

Rogério Campos de Moraes, de 46 anos, foi morto na madrugada deste sábado (26) nas proximidades da esquina da Avenida Aeroporto com a Rua Fernando de Noronha. Ele foi vítima de disparos de arma de fogo contra o veículo em que estava com mais dois homens – que sobreviveram e foram levados para a de Campo Grande, um consciente e outro em estado grave.

O Jornal Midiamax apurou que os três atingidos teriam passagem por tráfico de drogas ou roubo. O quarteirão onde ocorreu o crime foi restringido pela enquanto a Perícia faz análises técnicas. Diversas cápsulas estavam pelo chão, próximo ao carro. Seriam cerca de 30 disparos.

Preliminarmente, a suspeita é de que os disparos foram feitos por motociclista. Ainda não há confirmação se havia passageiro na motocicleta e a linha de investigação é apurada pela polícia.

Durante a madrugada deste sábado (26), a Polícia Militar recebeu três denúncias de assassinato, em regiões próximas. Uma seria no Panamá, outra no Santo Antônio e uma na Vila Sobrinho. Contudo, apenas o caso na Vila Sobrinho foi confirmado. Conforme as equipes policiais, as ligações podem ter sido trote ou então uma tentativa de confundir o trabalho da Polícia.

Em matérias de 2017 do Jornal Midiamax, um homem com o mesmo nome e conhecido como ‘Cego' foi preso por tráfico de drogas. Na época, ‘Cego' era líder de uma organização criminosa, surpreendida com operação policial.