Equipes de segurança de várias cidades do Estado foram acionadas para ajudarem no controle da rebelião que acontece, na tarde desta quarta-feira (22) no presídio de Cassilândia, distante 418 km de .

Batalhão de Choque da e o COPE (Comando de Operações Penitenciárias), da (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) saíram da Capital e estão em direção à penitenciária.

A rebelião começou logo após o almoço e os líderes do motim saíram encapuzados quebrando tudo no solário do bloco C. A cantina e o bloco D também foram destruídos pelos presos, que estão usando colchões para atear fogo no presídio.

Viaturas da Força Tática e do Militar de Paranaíba e Chapadão do Sul já estão no local, assim como ambulâncias de Cassilândia. Até o momento não há feridos na rebelião, de acordo com a Agepen.

Os reforços foram acionados depois que a liderança do motim recusou negociar com a Polícia Civil e Polícia Militar. O delegado Rodrigo de Freitas e o Capitão da PM, Jonas, entraram no presídio, mas não tiveram sucesso em negociar com os detentos, segundo o Cassilândia Notícias.

Saiba Mais