O corpo do adolescente Kauan Rios da Silva, de 14 anos, que desapareceu há 4 dias no Rio Anhanduí em , foi localizado na manhã desta segunda-feira (25), cerca de 2 horas após o início das buscas, no Colorado. 

O corpo estava enroscado em galhos de árvore, a cerca de 1 quilômetro de onde o adolescente desapareceu na última quinta-feira (21), quando saiu para nadar com outros três amigos. 

Mergulhadores do iniciaram as buscas por volta das 7 horas desta segunda. O corpo foi encontrado depois de aproximadamente 2 horas de trabalho.

A Perícia foi acionada. O pai de Kauan já havia procurado a delegacia para registrar o desaparecimento do filho, que saiu de casa com três amigos por volta das 11h na semana passada.

Desaparecimento

Os amigos de Kauan só revelaram o afogamento do adolescente no domingo (24), quando foram até a casa do pai da vítima e contaram que o grupo foi na quinta-feira tomar banho no rio e Kauan teria se afogado. 

Eles disseram que tentaram salvar ele, mas não conseguiram e que não contaram nada antes por medo do pai da vítima.

O pai então teria feito com que os meninos mostrassem o lugar para o Corpo de Bombeiros, já entre as 21h e 22h de domingo, mas nada encontraram, devido à escuridão. 

As buscas foram iniciadas nesta segunda-feira (25), quando roupas e chinelo do adolescente foram encontrados.

Alerta e perigos

O dono de uma chácara, próximo da cachoeira onde o adolescente se afogou, disse que até tenta alertar os banhistas sobre o perigo do rio, que é bastante fundo na região, onde costumam usar uma espécie de tirolesa para pular na água.

Valdienio Cândido da Silva lembrou ainda que infelizmente essa não é a primeira tragédia que ocorre no local. Segundo ele, há 2 anos, uma morreu afogada no mesmo local. Em outra data, outro garoto desapareceu na ponte do e teve o corpo levado pela correnteza, sendo encontrado ali no mesmo local.

Valdienio disse que no último sábado (23), por exemplo, a cachoeira estava lotada de famílias, incluindo crianças, se refrescando. “A maioria das pessoas fica lá na parte de cima, porque é mais raso e dá para tomar banho, mas a molecada não houve o alerta. Eu explico, tento falar que ali na tirolesa é fundo, mas eles vêm na empolgação e quem não sabe nadar, afunda”, explicou o morador.

Capitão Ferrer, do Corpo de Bombeiros, explicou que o local não é apropriado para banho, além de pedras, é fundo e a água poluída, inclusive com despejamento de esgoto.

Militares iniciando buscas por adolescente em rio. (Ari Theodoro, Midiamax)