Preso em no Paulo Coelho Machado nesta quinta-feira (2), o rapaz de 20 anos que confessou o assassinato de Gabriel Jordão Silva, de 23 anos, também seria autor do homicídio de Ronald Felipe Cavalheiro Cardoso, de 19 anos. Os dois crimes aconteceram nas .

Conforme as informações iniciais da polícia, o rapaz seria autor dos dois homicídios, um ocorrido em julho de 2022 e o segundo nesta quarta-feira (1º). Assim, o suspeito foi detido por policiais do Batalhão de Choque, com três armas.

Ele estava com um amigo no Paulo Coelho Machado, no Palio prata que teria sido usado no crime. Então, após a abordagem o suspeito confessou o assassinato.

Também apontou o local onde estariam as armas, sendo apreendidas uma pistola – usada no crime – e dois revólveres. As armas e o carro foram apreendidos e o autor preso.

Já o amigo foi encaminhado para a delegacia, mas deve ser ouvido como testemunha. Após a , o suspeito foi encaminhado para a DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídios).

Execuções nas Moreninhas

Em julho de 2019, Ronald morreu na Santa Casa, duas semanas após o atentado que sofreu. A princípio, ele estava na frente de uma residência com amigos.

Então, dois autores, entre eles o que agora está preso, chegaram e dispararam 13 tiros. A vítima acabou atingida aproximadamente quatro vezes, sendo socorrida em estado grave.

Já na noite de quarta-feira, Gabriel estava na frente de casa quando os atiradores passaram uma vez na rua e voltaram.

Então, um deles desceu do Palio armado com uma pistola 9 mm, atirando. Neste momento, Gabriel correu e tentou entrar em uma residência que estava com o portão fechado.

Em seguida ele correu novamente e tentou se esconder em casa, mas acabou alcançado. Com isso, foi assassinado com diversos tiros, que atingiram cabeça, costas e pernas.

Logo após o assassinato, os autores fugiram. No bolso de trás do short de Gabriel, a polícia encontrou papelotes de droga.

O rapaz já tinha passagens por tráfico de drogas e teria deixado a prisão em 2021.