Aos 50 anos de idade, Jonas Ferreira Rocha foi condenado a 16 anos de prisão após matar a ex-mulher Mariana de Lima Costa, de 29 anos, com golpes de machado cerca de um ano atrás, em 15 de janeiro de 2022.

Mariana foi a primeira vítima de feminicídio em Mato Grosso do Sul no ano de 2022. Ela foi morta na casa que morava, em Anastácio, distante 134 km de Campo Grande.

O corpo dela só foi encontrado dois dias depois da morte, após vizinhos sentirem forte odor e arrombarem a porta. Mariana foi encontrada em cima da cama, com vários ferimentos e crânio esmagado.

Centro de Triagem “Anísio Lima”, onde Jonas está preso (Foto: Divulgação)

Jonas foi condenado em júri popular no dia 1º de novembro de 2022, 10 meses após o feminicídio. Ele cumpre a pena em regime fechado, no Centro de Triagem “Anísio Lima”, na Capital, sem direito de recorrer em liberdade.

A morte foi resultado do ciúmes de Jonas, que viu a ex-mulher abraçada e beijando outro homem dias após o término do casamento e enquanto eles tentavam se reconciliar.

No dia do crime a filha do casal, de apenas 4 anos, estava na residência e presenciou as agressões e assassinato. Ela foi levada por Jonas até Campo Grande, onde ele se entregou à polícia e confessou que havia matado a ex-mulher.