Marido denuncia à polícia morte de professora em posto de saúde de Campo Grande

Mulher estava em salão de beleza e alegou estar com crise de ansiedade
| 21/07/2022
- 16:43
professora graciela
Graciela morreu dois minutos após receber medicamentos (Foto: Redes Sociais)

Professora Graciela Ribeiro da Silva, de 38 anos, que atuava da rede municipal de Campo Grande morreu após passar mal e procurar atendimento médico em posto de , na quarta-feira (20). A Polícia Civil investiga o caso, que foi denunciado pelo marido da vítima. Ela estaria em um salão de beleza e alegou estar com crise de ansiedade.

Conforme consta no boletim de ocorrência registrado pelo esposo, de 31 anos, ele chegou na UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) do Arnaldo Estevão Figueiredo no momento que a esposa recebia um medicamento - em duas ampolas - que estava sendo aplicado junto ao soro.

Ele chegou a perguntar qual era o nome do remédio ao profissional de saúde, mas que não obteve resposta. De acordo com o que consta na denúncia, aproximadamente dois minutos após aquela situação, Graciela começou a ter convulsões.

O marido chamou por socorro, mas ninguém interferiu e Graciela acabou ficando desacordada. Nesse momento, ele foi retirado do recinto e logo após recebeu a notícia que ela havia falecido.

A polícia registrou o caso como morte a esclarecer na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Cepol e investiga. A Semed (Secretaria Municipal de ) emitiu uma nota de pesar pela morte de Graciela, que atuava nas Emei's (Escolas Municipais de Educação Infantil) Vó Fina e Clebe Brazil Ferreira.  

O Jornal Midiamax pediu esclarecimentos sobre a morte à Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), via e-mail, e foi informado que a pasta vai abrir sindicância para apurar o caso. A vítima foi medicada com dipirona e teria chegado com uma suposta crise de ansiedade.

*matéria alterada às 18h33 para acréscimo de posição da Sesau.

Veja também

Houve troca de tiros e a vítima conseguiu ser libertada

Últimas notícias