Polícia busca informante de pistoleiros de atentado no Paraguai que matou influencer

Durante ataque dos pistoleiros, morreu a influenciadora Vita Aranda
| 10/02/2022
- 12:59
Narcotraficante aparece em imagens obtidas pela Polícia Nacional
Narcotraficante aparece em imagens obtidas pela Polícia Nacional - Reprodução

Após a prisão dos dois primeiros envolvidos no atentado ao anfiteatro San Bernardino, Alcides Villasboa Peralta e Junior Peralta Díaz, a Polícia Nacional e o Ministério Público concentram-se agora na identificação da pessoa que entregou o narcotraficante Marcos Rojas. Durante ataque dos pistoleiros, também morreu a influenciadora Vita Aranda.

Alcides Dejesús Villasboa Peralta, 41 anos, vulgo Ropero, e seu primo Junior Michael Peralta Díaz, 32 anos, que é suboficial inspetor da Polícia Nacional, ambos de Pedro Juan Caballero, foram presos no Grupo Especializado de Assunção por ordem da juíza criminal de Caacupé, Blanca Báez, que presidiu nesta quarta-feira (9) a primeira audiência do caso.

Os dois presos, que são nascidos em Pedro Juan Caballero, são processados ​​por homicídio doloso, lesão corporal grave, associação criminosa e produção de riscos comuns, como participantes. Segundo informações do ABC Color, Ropero ordenou o ataque e seu primo policial teria sido quem transportou e depois resgatou o que perpetrou o tiroteio.

O objetivo original de Alcides era “apenas” o traficante Marcos Ignacio Rojas Mora, 29, vulgo Marcos Capital, mas acabou a influenciadora Cristina Isabel Aranda Torres, 29, mais conhecida nas como Vita, que morreu a caminho do hospital.

Segundo informações da equipe do promotor-policial, há evidências de que Marcos Rojas, vulgo Marcos Capital, foi traído por uma das pessoas com quem estava festejando em 30 de janeiro passado no anfiteatro José Assunção Flores, em San Bernardino.

Veja também

Últimas notícias