Nesta quarta-feira (7), foi publicada negativa ao pedido de substituição da prisão preventiva do rapaz de 19 anos, acusado de tentar matar o enteado de três meses em setembro. O aconteceu em , a 133 quilômetros de .

Conforme a publicação no Diário da Justiça, os desembargadores da 1ª Câmara Criminal decidiram por denegar a ordem. O pedido seria para substituir a prisão preventiva por medidas cautelares.

No entanto, na decisão é apontado que, pela agressividade, o acusado precisou ser contido e quase foi linchado por populares. Além disso, vive com testemunha e vítimas.

Portanto, não é considerada suficiente a aplicação de medidas cautelares.  

Tentou matar bebê de três meses

O crime aconteceu em setembro deste ano, em um bar de São Gabriel do Oeste. Segundo o delegado Matheus Vital, da de São Gabriel do Oeste, a polícia recebeu informação sobre a briga na frente do bar, entre o casal.

Na , o rapaz teria tomado a do colo da mãe e então arremessado o bebê no chão. Apesar disso, o suspeito negou que tenha jogado a criança, alegando que o bebê caiu quando ele o tomou das mãos da mãe.

No entanto, três testemunhas oculares foram ouvidas e, conforme o delegado, confirmaram o crime. Ainda de acordo com o delegado Matheus, foram verificados elementos suficientes para a prisão em flagrante. O rapaz responde pela tentativa de homicídio e o bebê foi internado na de Campo Grande na época.

Padrasto mentiu sobre crime

Seguranças do evento presenciaram o crime e detiveram o autor até a chegada da polícia. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado e o bebê levado para o da cidade em estado grave.

Devido ao estado do bebê, ele foi transferido em vaga zero para Campo Grande. Para os policiais, o padrasto da criança disse que ela havia caído, mas os machucados no bebê e o relato de testemunhas não condizem com a versão dada pelo homem.

O padrasto do bebê não demonstrou arrependimento pelo crime, segundo informações da polícia. O caso foi registrado como tentativa de homicídio.