Rui Gerson Brandini, jornalista e ex-assessor parlamentar, e José Roberto da Luz, comerciante, foram condenados pelo assassinato do engenheiro agrônomo Sebastião Mauro Fenerich, de 69 anos, encontrado carbonizado no porta-malas de um HB20, no dia 10 de julho de 2017, no Jardim Seminário, em Campo Grande.

A sentença condenatória foi publicada em Diário da Justiça dessa segunda-feira (21). Rui Gerson foi condenado a 5 anos e 10 meses de reclusão, e José Roberto foi condenado a 1 ano e 6 meses de detenção.

Na época, Rui contou na delegacia que o engenheiro teria caído e batido com a cabeça no chão durante a cobrança.

O crime

Na época, ele compareceu na delegacia onde disse que Sebastião teria morrido após bater a cabeça no chão, durante uma briga entre os dois.

O delegado da época, Márcio Obara, titular da DEH (Delegacia Especializada em Homicídios) contou que Rui, também conhecido como “Gaúcho”, não tinha se apresentado por vontade própria, indo até a delegacia após intimação.  

Em depoimento na época na delegacia, Gaúcho contou que no dia do crime acompanhou Sebastião em uma cobrança. Ao chegar ao imóvel, foram atendidos pela esposa do devedor. A mulher teria dito que o marido não estava e o engenheiro teria se irritado. Conforme o delegado, o perfil ‘agressivo’ de Sebastião já havia sido descoberto nas investigações.

O amigo teria tentado acalmar e afastar Sebastião do portão, momento em que o engenheiro teria iniciado uma briga. Em meio a agressões, a vítima teria sido atingida com um soco no rosto e batido a cabeça ao cair no chão. Diante da situação, o suspeito tentou socorrê-lo, mas foi ameaçado de morte.

Algum tempo depois – tempo exato não informado -, Sebastião foi colocado no carro e o suspeito começou a dirigir pela cidade, mas em seguida a vítima começou a vomitar sangue, não resistiu ao ferimento e morreu no automóvel. Em seguida, o homem teria dirigido até o Jardim Seminário e colocado fogo no carro.