Com 45 munições, caçadores são presos com carne de jacaré em Bonito

Além da autuação, eles foram multados em R$ 2,5 mil por caça e porte de arma
| 16/02/2022
- 14:23
Animais foram abatidos no Rio Miranda.
Animais foram abatidos no Rio Miranda. - (Foto: Divulgação/PMA)

Dois homens foram presos na madrugada desta quarta-feira (16), em uma estrada vicinal de Bonito, a 295 quilômetros de Campo Grande, com carne de jacarés, rifles e 45 munições intactas. Além da prisão, eles foram autuados em R$ 2,5 mil, cada um por caça ilegal e porte de arma.

Segundo a PMA (Polícia Militar Ambiental), a equipe fiscalizava a região junto ao (Instituto de de Mato Grosso do Sul), em uma região conhecida como Bifurcação do Quati. Eles abordaram os caçadores em um Fiat Strada. No carro, havia a carne de dois animais abatidos no Rio Miranda.

Durante a vistoria ao veículo, não foi encontrada nenhuma arma, porém a equipe continuou buscas na vegetação próxima ao local da abordagem e encontrou, a cerca de 15 metros, uma espingarda do mesmo calibre das munições, de calibre 22, que foram jogadas no matagal para tentar despistar a polícia, quando perceberam a barreira.

Os infratores, de 31 e 36 anos, são moradores de Bonito, e receberam voz de prisão, sendo conduzidos para delegacia de Polícia Civil do município, juntamente com o material apreendido, onde foram autuados em flagrante por porte ilegal de arma e munições e por crime ambiental de caça e transporte de produto da fauna ilegalmente.

Vale lembrar que a pena para o crime é de seis meses a um ano de detenção pela caça e de dois a quatro anos de detenção pelo porte ilegal de arma e munições. O jacaré, mesmo sendo animal símbolo do Pantanal, também é lembrado por ser vítima da caça ilegal na região. Interessados principalmente na cauda, caçadores e quadrilhas especializadas neste tipo de crime saem em busca do animal silvestre, causando “desequilíbrio” em um período de 8 a 10 anos para que a natureza reponha este animal em todo o seu ciclo reprodutivo.

Veja também

Últimas notícias