Foram presos por equipes da 6ª Delegacia de Polícia Civil e pelo GOI (Grupo de Operações e Investigações) os dois acusados, de 31 e 25 anos, de matarem a tiros, Júlio César da Silva, de 51 anos, no São Conrado, em , em março deste ano. Ele e outro homem, de 33 anos, teriam sido atraídos para uma emboscada, quando cobravam uma dívida de R$ 1 mil.

Os dois acusados acabaram confessando o crime que foi motivado pela cobrança e por ameças a uma senhora que havia pegado mercadorias com Júlio para revender, mas não havia conseguido vender tudo não repassando o valor combinado a ele. 

Os presos serão indiciados por homicídio qualificado, lesão corporal e porte de arma. O inquérito será encaminhado à Justiça.

O caso

As duas vítimas eram mascates e na manhã do dia 19 de março telefonaram para o suspeito do crime, sobre uma dívida de R$ 1 mil, por produtos que teriam comprado. Na ligação, o homem teria feito ameaças, dizendo que mataria as vítimas caso fossem cobrar o valor.

No entanto, horas depois, autor e vítimas voltaram a se falar, quando o homem disse que já estava com o dinheiro e pagaria o valor. Júlio César e o colega foram até o local indicado, no São Conrado, de carro. O suspeito foi tirar satisfações e deu coronhadas no homem de 33 anos, que estava no banco do passageiro.

Ele desceu do veículo e pediu para o autor parar, momento em que o suspeito, acompanhado de um comparsa, fez vários disparos, que atingiram Júlio. Ele ainda tentou fugir e dirigiu por alguns quarteirões, mas ficou inconsciente, perdeu o controle da direção e só parou ao atingir um banco de areia. A outra vítima ainda correu e se escondeu em uma residência.