Polícia

Proprietário rural é autuado por incendiar restos de vegetação em leiras

Os policiais foram ao local e localizaram o uso do fogo ilegalmente

Diego Alves Publicado em 08/09/2021, às 23h44

Divulgação, PMA
Divulgação, PMA

A PMA (Polícia Militar Ambiental) autuou um empreiteiro em R$ 3 mil contra os incêndios por incendiar restos de vegetação em leiras neste período proibido em São Gabriel do Oeste, cidade a 136 quilômetros de Campo Grande.

Policiais realizavam trabalhos de orientação sobre a prevenção aos incêndios nas propriedades rurais e avistaram fumaça de um incêndio ontem (7) no final da tarde, em uma propriedade rural, localizada a 23 km da cidade. Os policiais foram ao local e localizaram o uso do fogo ilegalmente.

De acordo com a polícia, empreiteiro da fazenda, um carvoeiro, havia realizado a limpeza da área na propriedade para entregar a terra mecanizada em renovação da pastagem e tinha incendiado os restos de arbustos e galhadas, que estavam dispostos em 45 amontoados. O material queimado era proveniente de árvores isoladas derrubadas pelo empreiteiro, que havia retirado material lenhoso e aproveitado para a produção de carvão, parte do contrato com o proprietário da fazenda, tudo devidamente licenciado pelo órgão ambiental, a exceção da queima do material que está proibida no Estado.

Material vegetal sendo queimado ilegalmente.

A Portaria do IMASUL nº 926 de 12/07/21 suspendeu todas Autorizações Ambientais de Queima Controlada pelo período de 180 dias a contar da data de sua publicação, inclusive, as já expedidas. O empreiteiro (52), residente em São Gabriel do Oeste, foi autuado administrativamente e foi multado em R$ 2.972,00 pela infração ambiental cometida. Ele também poderá responder por crime ambiental de funcionar atividade potencialmente poluidora sem autorização ambiental, com pena de um a seis meses de detenção.

Jornal Midiamax