Morto pelo Choque teria submetralhadora e plano contra agentes de Segurança Pública em MS

Rapaz de 19 anos do Santa Emília tinha três armas e planejaria ataque contra servidores de MS
| 09/12/2021
- 13:14
Armas de fogo foram apreendidas na residência
Armas de fogo foram apreendidas na residência - (Divulgação)

José Martins Macedo, 19 anos, morto em confronto com o Batalhão de Choque na madrugada desta quinta-feira (9), no Santa Emília, estaria envolvido em um plano de ataques a servidores da . Não há informação do cargo dessas possíveis vítimas e, na casa em que o rapaz foi morto, foram apreendidas quatro armas que possivelmente seriam usadas nos atentados.

De acordo com o Batalhão de Choque, equipe fazia patrulhamento em Sidrolândia quando recebeu informação de um denunciante anônimo. Ele relatou que um motorista de aplicativo estaria envolvido no planejamento de ataques contra os servidores públicos e estaria fortemente armado.

Com isso, os policiais encontraram o motorista em um posto de combustíveis e ele negou os fatos, mas relatou informações que levaram a equipe até o endereço no Santa Emília, em Campo Grande. O motorista guiou os policiais até a casa, onde foi feita abordagem ao morador. Os policiais se identificaram, mas o suspeito teria dito que eles “iriam tomar” caso entrassem.

Ainda segundo o Choque, os policiais ouviram dois disparos de arma de fogo dentro da casa, momento em que entraram no local e identificaram o morador, já com uma arma em punho. Os policiais revidaram e atingiram o suspeito, que ainda foi levado ao Hospital Regional, mas não resistiu aos ferimentos.

Na casa, foram encontradas as armas escondidas embaixo da cama, envoltas em um lençol. Foram apreendidas uma submetralhadora modelo ZK 383, calibre 9 mm com um carregador, uma escopeta calibre 12 e uma pistola 9 mm modelo MC21 com um carregador. Outra pistola calibre 9 mm, que estaria com o rapaz, foi apreendida com 7 munições intactas.

Em cima do armário da cozinha, foram apreendidas duas caixas de munições calibre 9 mm, totalizando 100 munições, além de 10 cartuchos calibre 12. Um celular e um caderno de anotações também foram encontrados no local e apreendidos. O caso é tratado como resistência, posse ilegal de arma de fogo, tentativa de homicídio e homicídio decorrente de oposição à intervenção policial. 

Veja também

Últimas notícias