Polícia

Em 7 anos, ações entre Brasil e Paraguai já causaram prejuízos de mais de 1 bi de dólares ao narcotráfico

Além da destruição de mais de 1 milhão de toneladas de maconha, a parceria entre os dois países já resultou na prisão de 276 pessoas, entre elas, 16 brasileiros

Marcos Morandi Publicado em 20/04/2021, às 06h36

Destruição de acampamento de plantadores de maconha no Paraguai
Destruição de acampamento de plantadores de maconha no Paraguai - Senad/Divulgação

Nos últimos sete anos, o narcotráfico internacional tem acumulado prejuízos que totalizam US$ 1.032.277.000. O valor faz parte de um balanço divulgado nesta segunda feira (19) pelo presidente do Paraguai, Mário Abdo Benitez, durante encontro com o embaixador do Brasil, Flavio Soares Damico.

Por meio de acordo cooperativos os dois países já contabilizam apreensões que somam 6.939 quilos de cocaína e 48.420 quilos de maconha pronta para comercialização. Além disso 276 pessoas já foram presas, entre elas 16 brasileiros que eram foragidos da Justiça.

Os números divulgados pelo presidente paraguaio relativos às 177 operações desenvolvidas pela Senad (Secretaria Nacional Antidrogas), em parceria com o a Polícia Federal, também mostram que durante esse período já foram destruídos 6.893 hectares de lavouras de maconha.

Segundo informações da Senad, essa área de cultivo eliminada, equivale a 1.156.926 quilos de drogas que seriam distribuídas no Brasil e na Europa. Para ter acesso aos lugares de difíceis acessos, as operações contam o apoio de helicópteros fornecidos pela Polícia Federal Brasileira, principalmente na Operação Nova Aliança.

Jornal Midiamax