Conforme apurado, o homem  alugava há três anos um quarto do hotel. Ele trabalhava em um escritório de advocacia e, nos últimos três dias, não havia aparecido, fato que chamou a atenção do proprietário Josias de Souza, de 44 anos, e de sua esposa.

Neste domingo pela  manhã, a esposa  de Josias sentiu um forte odor vindo do local e, ao averiguar, constatou que o hóspede já estava morto. Foi acionada a polícia e a perícia, que constataram estado de decomposição. Segundo o proprietário, a vítima aparentemente não tinha vícios. O caso é investigado.