Polícia

Sul-mato-grossense é preso aplicando golpe do falso bombeiro em Alagoas

Ele praticou o crime em 4 estados

Midiamax Publicado em 09/09/2016, às 21h36

None
dsc_0065.jpg

Ele praticou o crime em 4 estados

O sul-mato-grossense Alexandro Brites foi preso e apresentado em Maceió, nesta sexta-feira (9), após tentar aplicar golpes como um falso comandante do Corpo de Bombeiros, no estado Alagoano. Na ficha criminal, Alexandre apresenta uma prisão por estelionato em Pernambuco.

Conforme o site local Alagoas 24 horas, durante coletiva nesta tarde, o delegado Vinícius Ferrari da Deic (Divisão Especial de Investigações e Capturas) explicou que o acusado se apresentava em comunidades carentes como comandante dos Bombeiros e realizava falsas promessas de alistamento e participação nos lucros de uma instituição de ensino (Médio e Profissionalizante) que implantando na capital alagoana.

Alexandro recolhia documentos das vítimas e já havia iniciado a abertura de empresas (pessoas jurídicas). No entanto, ainda não havia conseguido chegar à fase de recolher dinheiro das vítimas, como ocorreu em outros estados. Isso porque ele é acusado de aplicar golpes em Pernambuco, Piauí, Ceará e Mato Grosso do Sul, sua terra natal.

Denúncia

A polícia chegou até Alexandro Brites a partir de denúncias das próprias vítimas. Desconfiadas de que se tratava de um golpe, vítimas pesquisaram o histórico do falso bombeiro e descobriram que ele havia sido preso em Pernambuco pelo mesmo crime.

A Polícia foi acionada e o golpista preso no Hospital Universitário, quando estava reunido com um grupo de jovens. No momento da prisão estava trajando um fardamento semelhante ao de passeio usado por bombeiros militares.

O delegado informou que atualmente havia mais de 20 pessoas cadastradas por Alexandro e duas equipes formadas por ele. Uma delas funcionando em Cruz das Almas e a outra no Cidade Universitária, onde funcionava seu escritório.

Em entrevista à imprensa, Alexandro disse que não se apresentava como comandante e que pertencia a uma instituição chamada Academia Pré-Militar, de bombeiros voluntários, cuja sede fica em Aracaju (SE). “Se interpretaram como golpe, cabe ao delegado fazer inquérito e à justiça julgar. Aí a gente pode dizer que foi golpe”, respondeu.

O acusado de estelionato confirma que foi preso em Pernambuco por estelionato, chegou a fugir, mas foi recapturado. Questionado se estaria cometendo o mesmo crime em Alagoas, ele disse que preferia não responder e pediu respeito.

Jornal Midiamax