Em vídeo, associações chamam militares para movimento 

O Governo de Mato Grosso do Sul afirmou nesta segunda-feira (23) que não tem conhecimento da paralisação de militares da polícia e bombeiros, programada para esta terça-feira (24). Nota da Sejusp (Secretaria de Segurança Pública do Estado Mato Grosso do Sul) diz que até o momento nenhum comunicado foi feito e não existe aval para ações neste sentido.

“O Comando-Geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul não tem conhecimento e não foi comunicado de qualquer movimento grevista, de paralisação ou de operações padrão, bem como, não deu qualquer aval para a tropa neste sentido”, alega a nota.

Depois de recusar abono salarial de R$ 200 oferecido pelo Executivo e solicitar uma série de melhorias nas condições de trabalho, os servidores decidiram dar início ao ‘Dia de Alerta’. Durante 12 horas, das 8 até 20 horas, o atendimento à população ficará reduzido.

Um vídeo divulgado nas redes sociais mostra representantes de todas as entidades ligadas à categoria convocando a população e também os militares, para um movimento na Praça Ary Coelho a partir das 8 horas e para um ato público às 16 horas.

“Precisamos estar unidos para conseguir avanços para nossa categoria, não só no ganho salarial, mas também na reestruturação, nas melhorias das condições de trabalho ao policial e ao bombeiro militar”, afirma o coronel Alírio Villasanti, presidente da AOFMS (Associação dos Oficiais Militares Estaduais de Mato Grosso do Sul).

Segundo a Sejusp, “as questões salariais e funcionais dos cabos e soldados, que representam a maioria maciça da Polícia Militar, já foram negociadas entre o Governo do Estado e a Associação de Cabos e Soldados da PM, em assembleia geral e legítima”.

Ainda em nota, a secretaria afirma que o Governo do Estado vem trabalhando para reestruturar a Polícia Militar e promete que nos próximos dias entregará 866 novos coletes balísticos, 230 armas, entre fuzis, metralhadoras e espingardas de grosso calibre e mais 60 viaturas, entre motos, caminhões guinchos e vans.

“Além disso, estão em andamento processos licitatórios para a aquisição de mais 76 viaturas e atas de registros de preços, em fase de homologação, para a aquisição de mais de 5 mil coletes balísticos para a PM e a Polícia Civil”, conclui. 

Veja convocação aqui: