Polícia

Amigos e familiares de travesti morta fazem vaquinha para trazer corpo do Paraná

Corpo deve chegar na terça-feira 

Clayton Neves Publicado em 08/08/2016, às 21h55

None
13237785_876923495786323_8982915321576299677_n.jpg

Corpo deve chegar na terça-feira 

Para pagar os custo com o translado do corpo da travesti Thiemy Oliveira, de 24 anos, assassinada em Maringá na madrugada desta segunda-feira (8), amigos e familiares da jovem se uniram e fizeram uma vaquinha para arcar com os gastos avaliados em cerca de R$ 3 mil.

De acordo com a mãe de Thiemy, Edivete Manoel João, de 47 anos, o corpo deve chegar nesta terça-feira (9) a Campo Grande. A liberação será feita por um tio da jovem que viaja na noite desta segunda-feira para o Paraná.

A mãe conta que soube da morte da filha por volta de 7 horas, quando uma amiga que morava com Thiemy em Maringá enviou uma mensagem pelo Facebook informando sobre o assassinato da travesti.

A caçula de três filhos, a jovem travesti faria 25 anos no dia 29 de setembro. “Nós tínhamos um bom relacionamento e nos falávamos sempre. Ele era meu filho caçula, foi um choque”, afirma a mãe.

Thiemy Oliveira, também conhecida como Joyce, foi morta assinada com uma facada na região do abdômen. Acionado, a equipe do Corpo de Bombeiros chegou a fazer os primeiros socorres, porém, ela não resistiu e morreu dentro da ambulância.

Jornal Midiamax