As adolescentes devem ser transferidas do colégio

Duas meninas de 13 e 14 anos foram levadas para a Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e a Juventude) depois de causarem tumulto por usarem um spray de pimenta dentro da sala de aula do 8º ano da Elvira Pacheco Sampaio. Depois da confusão, as adolescentes devem ser transferidas do colégio.

O caso aconteceu na tarde desta quinta-feira (12). A menina de 13 anos contou para a equipe do Jornal Midiamax que acabou sim usando o spray, mas sem querer. Nas palavras dela, na semana passada ia para a escola e assim que desceu do coletivo encontrou um frasco no ponto de ônibus, que mais tarde descobriu o que era.

Ela levou o objeto para a escola e lá um amigo pediu para esconder o spray, já que o local é cheia de câmeras de segurança e o achado poderia trazer problema para a menina. Mais tarde, o colega acabou usando o spray perto da sala dela, e segundo ela, todos a acusaram. A jovem conta que pegou de volta, mas na terça-feira (10) a mesma coisa aconteceu, ainda sem nenhuma consequência.

Nesta quinta-feira, ela e a amiga, de 14 anos, foram até o banheiro da escola e a mais velha apertou o spray dentro de uma das cabines do banheiro e o cheiro forte de espalhou. Para fugir das câmeras, a menina escondeu o frasco dentro da calça e já dentro da sala “apertou o dispositivo sem querer”.

Todos os alunos tiveram que sair da sala e precisaram ser abrigados na sala de informática. As meninas foram chamadas para ir até a diretoria e acabaram confessando a história. A Guarda Municipal foi acionada e todos foram para a delegacia.

Na delegacia, a diretora da escola, Denise Aparecida Camargo explicou que da primeira vez que a confusão aconteceu passou de sala em sala deixando o número do celular e pedindo para os alunos entrarem em contato com ela para contar quem usou o spray de pimenta.

“Recebi várias ligações falando que eram elas, mas ela faltou quase a semana inteira. Desta vez, como já sabia quem era, chamei as meninas”, alega à educadora. Denise ainda lembrou que as duas são problemas constantes na escola e que agora devem ser transferidas do local.

A tia da adolescente, que a acompanhou na delegacia, contou que a mãe da jovem está presa e o irmão, também adolescente apreendido. A mulher, que teve a identidade preservada, afirmou que a irmã foi presa por causa do filho e agora ela cuida de sobrinha. “Isso é culpa da própria sociedade, quando o pai bate é crime. Meus filhos nunca deram trabalho e agora tenho a sobrinha dá”, lamenta.