PMs suspeitos de tentar desviar drogas teriam pedido R$ 150 mil para liberar casal

Uma das vítimas procurou a PM quando saiu para levantar o dinheiro
| 07/05/2015
- 21:23
PMs suspeitos de tentar desviar drogas teriam pedido R$ 150 mil para liberar casal

Uma das vítimas procurou a PM quando saiu para levantar o dinheiro

Os policiais militares, suspeitos de tentar desviar uma carga de drogas, teriam pedido R$ 150 mil para livrar um casal da prisão. As vítimas receberiam a droga de um traficante de Corumbá e foram interceptadas pelos militares. Os PMs liberaram o homem para levantar a quantia e ele foi até um pelotão da PM, onde informou a suposta extorsão.

O marido relatou no pelotão que estava com a mulher e outro homem. Eles combinaram de pegar cinco quilos de cocaína trazidos por um segundo homem e vender na cidade. O casal foi ao encontro do outro homem, na região de uma universidade no Jardim Seminário, e se dirigiram para onde encontrariam um suposto cliente.

No caminho eles perceberam um veículo Fiat Uno atravessado na via e foram abordados por dois homens. Eles portavam pistolas e usavam colete à prova de balas. A dupla se identificou como policiais da Denar (Delegacia Especializada em Repressão ao Narcotráfico).

O homem relatou no pelotão que um dos PMs pegou cerca de R$ 400 da carteira dele. Segundo o relato, os policiais teriam pedido R$ 150 mil para que ninguém fosse preso por tráfico de drogas. Os militares ainda teriam feito contato com um desconhecido e separaram o trio. A mulher foi levada para uma lanchonete, onde ficou com um dos policiais e o marido, liberado para conseguir o dinheiro.

Enquanto o marido relatava a história aos policiais do pelotão, o policial fez contato com o homem pelo telefone da mulher. Nessa ligação, o valor caiu de R$ 150 mil para R$ 75 mil. A ligação foi acompanhada pelos militares do pelotão que auxiliaram na negociação e no local de onde o pagamento deveria ser feito.

Em um novo contato, o valor passou a ser R$ 22 mil no momento da troca e R$ 53 mil no outro dia. Somente assim a mulher dele e outro homem seriam liberados. Conforme o casal, após o trio ser separado, o outro homem não foi mais visto.

No local combinado para a entrega do dinheiro, a guarnição da PM aguardou a mulher sair do veículo, quando fez a abordagem dos dois policiais. O desconhecido, com quem os policiais teriam feito contato por telefone, conseguiu fugir do local. No carro dele teria ficado a droga que acabou desviada.

Os policiais suspeitos foram questionados e responderam que tinham a informação de que havia o transporte e comercialização de drogas e decidiram agir. Localizaram os suspeitos e fizerram a abordagem do casal. Segundo os policiais, nada foi encontrado no carro.

Segundo os policiais, eles interrogaram o casal separadamente. O marido teria informado que realmente iria receber a droga e que não sabia o nome do homem.  Ele teria concordado em marcar local para que os policiais pudessem apreender a carga. Os policiais negaram a exigência de dinheiro e disseram que levavam apenas as quantias pessoais.

Os policiais foram presos na noite de quarta-feira (6) por sequestro e prevaricação. Eles também estavam com um arsenal e munições. O carro particular dos servidores usado na abordagem a um casal estava com a placa adulterada.

Os militares detidos estavam com três armas longas e duas pistolas, 118 munições de calibre .40, 100 de 22 e 10 balotes do calibre 36.

No boletim registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga constam os crimes de extorsão mediante cárcere privado, que foi majorado pelo emprego de pessoas, além de posse irregular de arma de fogo, adulteração de veículo automotor, prevaricação e associação criminosa.

Veja também

Suspeito tinha até notas fiscais falsificadas dos 70 kg de cocaína, distribuídos em 3 caixas de aparelhos de ar-condicionado

Últimas notícias