Falta de provas concretas impede maior número de prisões em casos de estupro

Sobrinho gravou assédio contra tia e imagens foram fundamentais nas investigações
| 11/05/2015
- 18:41
Falta de provas concretas impede maior número de prisões em casos de estupro

Sobrinho gravou assédio contra tia e imagens foram fundamentais nas investigações

O caso de envolvendo um pedreiro de 71 anos e tendo como vítima uma jovem de 23 anos, mas que tem a mentalidade de uma criança de 11 anos, trouxe à tona uma dificuldade enfrentada pela polícia na investigação dos fatos. De acordo com a delegada adjunta da DEAM- Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, Marília de Brito Martins, muitas vezes as investigações esbarram na falta de provas concretas para materializar o crime.

Segundo a delegada, alguns casos chegam até o conhecimento da polícia, mas quando envolve pessoas com problemas de deficiência mental, a dificuldade para se coletar provas concretas dificultam o andamento do processo.

“Neste caso específico contamos com a astúcia do sobrinho da vítima de 11 anos que desconfiou do fato do pedrerio ordenar que ele saisse para brincar e deixou o celular gravando. As provas são concretas e quando confrontado, o suspeito não teve como negar”, afirmou.

Segundo ainda a delegada, famílias que contam com pessoas em situação de vulnerabilidade precisam ter muito cuidado com quem deixam entrar em casa. “Neste caso, o autor já era conhecido da família, mas mesmo assim é preciso muita cautela”, alertou.

No depoimento prestado pelo pedreiro, ele confessou que a ação gravada já era a segunda vez que ele praticava o assédio, que é tipificado como estupro. “Temos até sexta-feira para concluir o inquérito e temos ainda algumas pessoas para ouvir. Não podemos ainda dizer se alguém fooi alertado sobre o comportamento do pedreiro e se o sobrinho da vítima decidiu gravar porque já estava desconfiado de alguma coisa”, concluiu a delegada.

O caso aconteceu no dia 24 de novembro de 2014, A denúncia feita no dia primeiro de dezembro. As investigações comearam logo depois com a coleta de laudos médicos quanto a saúde da vítima e na coleta dos depoimentos dos familiares dela. Depois de estar de posse de todo o material e com a caracterizaçãso do estupro, foi decicido pelo pedido de prisão preventiva do autor, que foi cumprida na sexta-feira e ele jáfoi encaminhado para uma cela especial no Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande.

Veja também

Últimas notícias