Torcedora flagrada xingando Aranha é intimada pela polícia e tem casa apedrejada

A jovem flagrada chamando de “macaco” o goleiro Aranha, do Santos, durante o jogo contra o Grêmio, na última quinta-feira, em Porto Alegre, teve a casa apedrejada na noite de sexta-feira. Segundo testemunhas, um vizinho arremessou pedras contra uma das janelas da residência, localizada no bairro Passo das Pedras, na zona norte da capital gaúcha. […]
| 31/08/2014
- 20:42
Torcedora flagrada xingando Aranha é intimada pela polícia e tem casa apedrejada

A jovem flagrada chamando de “macaco” o goleiro Aranha, do Santos, durante o jogo contra o Grêmio, na última quinta-feira, em Porto Alegre, teve a casa apedrejada na noite de sexta-feira. Segundo testemunhas, um vizinho arremessou pedras contra uma das janelas da residência, localizada no bairro Passo das Pedras, na zona norte da capital gaúcha. O imóvel está fechado desde o início da repercussão do caso.

Patrícia Moreira da Silva, 23 anos, foi formalmente intimada a prestar depoimento na próxima segunda-feira, às 9h, na 4ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre. Ela saiu de casa ainda na quinta-feira e não foi mais vista na rua em que mora. A polícia acredita que ela esteja abrigada na casa de parentes. Agentes da Polícia Civil estão procurando a jovem para que ela deponha no inquérito que apura injúria racial.

Com a repercussão do caso, Patrícia foi afastada do trabalho – ela atuava como auxiliar de saúde bucal em uma clínica que presta serviço à Polícia Militar gaúcha. A decisão foi tomada ainda na noite de quinta, após a transmissão das imagens captadas pelo canal ESPN Brasil.

A fim de identificar os demais torcedores gremistas envolvidos no episódio de racismo, o chefe da Polícia Civil no RS, delegado Guilherme Wondracek, pediu para que os torcedores do Grêmio denunciem as pessoas que ofenderam Aranha. “Os torcedores que estiveram no estádio e sabem identificar os gremistas que fizeram as agressões verbais podem procurar a polícia”, afirmou.

O jogo de volta entre as duas equipes, que estava marcado para a próxima quarta, na Vila Belmiro, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, foi adiado. A decisão foi tomada a pedido do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). “A gente denunciou rapidamente, para não ter atraso. Queremos avaliar a denúncia, para a comissão disciplinar possa julgar antes que haja o outro jogo”, disse o procurador Paulo Schmitt.

De acordo com o presidente do STJD, Caio César Rocha Vieira, todo o processo deve durar 20 dias, incluindo o julgamento pelo Pleno. O clube será denunciado por ato discriminatório e responderá por infração ao artigo 234-G do CBJD. Outra punição cabível ao Grêmio é a multa de até 100.000 reais, além da possibilidade de ser excluído do campeonato.

Veja também

Com os três adolescentes foram recuperados os dois veículos subtraídos, vários objetos pessoais da vítima

Últimas notícias