O presidente da Rússia, Vladimir Putin, assinou nesta quinta-feira uma lei que revoga a ratificação de um veto global a testes nucleares. Moscou diz que esse passo é necessário para estabelecer situação paritária com os Estados Unidos.

Putin diz que o recuo na ratificação do Tratado Abrangente de Veto a Testes Nucleares (CTBT, na sigla em inglês) iria “espelhar” a postura dos EUA, país que assinou, mas não ratificou o acordo. As duas Casas do Parlamento russo votaram no mês passado para revogar a ratificação da lei.

O tratado, adotado em 1996, proíbe qualquer explosão nuclear pelo mundo, mas nunca foi de todo implementado. Além dos EUA, ainda não o ratificaram China, Índia, Paquistão, Coreia do Norte, Israel, e Egito.

Há preocupações disseminadas de que a Rússia possa retomar testes nucleares, a fim de desencorajar o Ocidente de continuar a oferecer apoio militar à Ucrânia. Muitos partidários de relações exteriores mais duras no país têm defendido a retomada dos testes.

Putin já disse que alguns especialistas argumentam pela necessidade de se fazer mais testes, mas acrescentou que ele ainda não havia formado uma opinião sobre o assunto.