Em entrevista à agência Associated Press, o papa Francisco criticou a crise argentina. O sumo pontífice afirmou que a falta de uma boa administração e de boas políticas causaram os altos índices de pobreza e inflação no país. “Em 1955, quando terminei o ensino médio, o nível de pobreza era de 5%. Hoje, a pobreza é de 52%. O que aconteceu? Má administração, más políticas”, disse Francisco.

“A Argentina neste momento – não faço política, leio os dados – tem um nível de inflação impressionante”, acrescentou o papa. A inflação argentina ficou em 94,8% em 2022. Há décadas o país vive uma crise econômica e apresenta um quadro macroeconômico alarmante.

Francisco deu as declarações em uma extensa entrevista à Associated Press. Segundo o jornal local Clarín, o governo reconheceu a crítica do papa e respondeu por meio da porta-voz presidencial Gabriela Cerruti, que disse que a situação crítica de pobreza e inflação “se deve aos quatro anos que Macri governou”.

Mais tarde, o próprio Alberto Fernández respondeu: “Enquanto Perón governava, a realidade argentina era diferente.” Ele se esquivou da responsabilidade pela situação econômica e social no país: “Quando os governos ditatoriais começaram a se suceder, sempre regidos pela lógica liberal e conservadora, eles geraram o que geraram”, disse Fernández, segundo reportagem do Clarín.