Martín Guzmán, ministro da Economia da Argentina, renuncia ao cargo

O presidente Alberto Fernández ainda não se pronunciou
| 03/07/2022
- 12:14
Martín Guzmán, ministro da Economia da Argentina, renuncia ao cargo

O ministro argentino da Economia, Martín Guzmán, anunciou neste sábado (2) a sua demissão do cargo, em carta ao presidente Alberto Fernández. "Eu me dirijo ao senhor por motivo de apresentar minha demissão do cargo de ministro da Economia", que ocupava desde 10 de dezembro de 2019, diz a carta, divulgada na conta de Guzmán no Twitter.

Enfrentando a resistência de boa parte do Partido Justicialista (peronista), de situação, Guzmán assinalou que, para seu substituto, será primordial que trabalhe em um acordo político dentro da coalizão governante. Em uma economia assolada por uma inflação de mais de 60% em 12 meses e pela desvalorização de sua moeda, o peso, Guzmán disse que, a partir de agora, "será fundamental continuar fortalecendo a consistência macroeconômica, incluindo as políticas fiscal, monetária, de financiamento, cambial e energética". Terceira maior economia da América Latina, atrás do e do México, a Argentina acertou com o Fundo Monetário Internacional (FMI um empréstimo de facilidades estendidas, conhecido como SAF, para liquidar os 44 bilhões de dólares desembolsados no âmbito de um crédito acordado há quatro anos por 57 bilhões, o maior da história do Fundo. Guzmán liderou as negociações com o FMI para alcançar esse acordo, que enfrentou a resistência de parte do governismo, liderado pela vice-presidente, Cristina Kirchner, e conseguiu evitar que o entrasse em default.

"Com a profunda convicção e confiança em minha visão sobre o caminho que a Argentina deve seguir, continuarei trabalhando e agindo por uma pátria mais justa, livre e soberana", acrescentou o ministro em sua carta de demissão. O presidente Alberto Fernández ainda não se pronunciou.

Veja também

Valor inclui armas, munições e equipamentos

Últimas notícias