Após o da Rússia em Kiev e outras cidades ucranianas, a Organização das Nações Unidas (ONU) afirmou que seu secretário-geral, António Guterres, está “profundamente chocado” com os bombardeios e que os ataques constituem “outra escalada inaceitável da guerra e, como sempre, os civis estão pagando o mais alto”.

Nesta segunda-feira, 10, a capital ucraniana, Kiev, e outras cidades do país foram alvos de mísseis de larga escala de Moscou

Outros líderes, como o presidente dos Estados Unidos. Joe Biden, e o presidente da França, Emmanuel Macron, também se pronunciara contra os ataques.

Na terça-feira, 11, o G7 irá realizar uma cúpula de emergência, a pedido do presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, para discutir os últimos ataques.