Sabrina Carpenter, que esteve recentemente no Brasil abrindo os de Taylor Swift, se defendeu das que vem recebendo desde o lançamento de seu clipe ‘Feather’, gravado dentro da Igreja da Anunciação da Bem-Aventurada Virgem Maria, em Nova York. Para alguns, a produção é considerada provocativa. Para a revista Variety, a cantora explicou que recebeu a permissão para gravar dentro da instituição, que fica no Brooklyn.

“Jesus era um carpinteiro [como eu]”, pontuou ela, insinuando que teria uma autorização ‘maior’ para a produção do clipe no local. A resposta foi dada já que seu sobrenome, Carpenter, significa carpinteiro, em inglês.

“Conseguimos aprovação antecipada”, explicou ela. No clipe, a cantora aparece dançando entre os bancos da igreja do século 19, de vestido e véu de tule preto e cercada por caixões, que simbolizam que os homens que trataram ela de forma inadequada, com vaias ou tirando fotos do seu corpo sem autorização, estariam mortos.

No entanto, a produção não agradou em nada a Diocese do Brooklyn, na qual a igreja do clipe está inclusa, que compartilhou uma declaração com a Agência Católica de Notícias, afirmando que o bispo Robert Brennan estava “chocado com o que foi filmado na Igreja da Anunciação da Bem-Aventurada Virgem Maria, no Brooklyn”. “A paróquia não seguiu a política diocesana em relação às filmagens nas propriedades da Igreja, o que inclui uma revisão das cenas e do roteiro”, apontava o texto.

Segundo a Agência Católica de Notícias, a paroquia disse à diocese que a produtora do clipe “não conseguiu representar com precisão o conteúdo do vídeo”. Assim, o bispo Brennan decidiu dispensar de suas funções o Monsenhor Gigantiello, responsável pelo local, “dias após o lançamento” do videoclipe.

O clipe, publicado há 4 semanas, já tem mais de 12 milhões de visualizações no YouTube.

Saiba Mais