O apresentador (1938-2022) deixou uma herança milionária e, na hora de repartir, não esqueceu de quatro funcionários que trabalharam em sua casa.

De acordo com o site Notícias da TV, que teve acesso ao testamento de Jô, a fatia deixada para ser dividida entre eles foi de 10%. Os quatro funcionários e as respectivas porcentagens da herança recebida são: Antonio Roberto Colossi (3,6%); Marlucy de Oliveira Costa (3,2%); Marycleidy de Oliveira Costa (1,6%) e Sebastião Kassen Moreira dos Santos (1,6%).

A maior parte da herança de Jô, o equivalente a 80% do patrimônio, ficou com a ex-mulher, Flavia Maria Junqueira Pedras Soares. Ela também ficou com o duplex onde Jô morava, pois a propriedade havia sido passada para seu nome em 2017. Além do imóvel, a ex recebeu objetos valiosos, como joias, relógios, canetas, quadros e instrumentos de estúdio. Claudia Colossi, amiga do comunicador, também foi contemplada com os 10% restantes da herança.

Outra herança deixada pelo apresentador foi uma biblioteca com mais de 5 mil livros. A coleção deverá ser toda doada para uma instituição designada por Flavia.

Sem herdeiros, solteiro e filho único, Jô Soares alterou seu testamento um mês antes de morrer. O novo texto foi emitido sob o título de testamento público, aquele registrado em cartório e testemunhado por duas pessoas. Na última cláusula, o apresentador registrou querer ser cremado e que suas cinzas fossem entregues à ex-esposa.