“Foi tão estranho, invasivo, perdi o controle de minha imagem. Na hora senti taquicardia, minha mão ficou suada, fiquei sem ar. Acredita que parei pra me questionar se errei de ter ido à praia e depois ter subido pra piscina do Hotel, de amigos queridos?”, disparou Eliana.

A apresentadora disse que depois de se questionar por algumas horas, percebeu que deveria falar algo sobre o assunto.

“Resolvi eu mesma postar, já que inevitavelmente minha foto já não é mais minha, virou algo de todos. Esse post tem um significado importante pra mim, estou me sentindo livre!! Sim, LIVRE!!! Por muitos anos, deixei de brincar numa praia com meus filhos com receio de ter meu corpo exposto e lançado ao julgamento. É comum a sensação de não sermos donas da nossa própria imagem e dos nossos próprios corpos, mesmo não sendo famosas. Quantas vezes você presenciou uma mulher sendo fotografada sem autorização, na academia enquanto só queria treinar, na praia enquanto só queria se divertir”, continuou

“Hoje eu penso, por que vc se privou tanto? Porque sentia o peso de ser uma figura pública e alguém reparar em mim. Numa celulite, numa estria, em alguma imperfeição de uma foto roubada — e na sensação de invasão e falta de controle que isso traria. Aquela cobrança que vivemos pelo simples fato de sermos mulheres. A cobrança com o corpo (se é magro, gordo, flácido ou musculoso…) é sempre maior pra nós […] Aliás, até quando teremos que nos preocupar? Viva a liberdade!”, concluiu a artista.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Eliana Michaelichen (@eliana)

 

Saiba Mais