Começa nesta quarta-feira (8), em alusão ao mês da Consciência Negra, a ‘Ori’, com entrada gratuita no MIS ( da Imagem e do Som) em parceria com o Coletivo Enegrecer.

Segundo as participantes da exposição, Eliane Thalita e Auriellen, a mostra busca a essência de que em cada ser existe um universo singular, com seu regente primordial: o existir. “Ori é nosso Orixá, é o primeiro, ele nasce conosco. Cada ser tem um Ori particular. Ori é nossa cabeça exterior e interior, ele nos guia em direção ao que mais queremos, dizendo a uma pessoa o que ela tem de bom, quando ela consegue escolher sabiamente seus caminhos e quais batalhas travar ou não”, explicam.

Em seus trabalhos, os artistas irão expor suas vivências, seu cotidiano e pensamentos de modo coletivo. A exposição apresenta a diversidade que há em cada ser, na complexidade de suas existências e a liberdade de ser, de se conhecer e se reconhecer individualmente.

Sobre o Coletivo Enegrecer

O Coletivo Enegrecer propõe aos espaços e galerias dos quais participam neste âmbito, formada por 23 artistas campo-grandenses que, com uma rica e impactante produção artística, nos apresentam obras que vão desde a contemporaneidade da linguagem do Grafitte, Performance, Instalações, Desenho, Gravura e Pintura.

Em suas propostas, o coletivo carrega de cunho intenso em relação às desigualdades sociais, transitando entre as diversas esferas da sociedade, trazendo à tona criações que possibilitam experienciar em formas criativas suas dores e conflitos, com o intuito de evidenciar o cotidiano e os espaços que seus corpos ocupam.

Serviço

A exposição ‘Ori’ acontece no Museu da Imagem e do Som de MS, que fica na Av. Fernando Correa da Costa, 559, 3º andar, do dia 8 a 30 de novembro. A abertura será a partir das 19h. A entrada é gratuita.