O remake da “Pantanal”, produzido pela , evidenciará ainda mais um assunto delicado abordado em 1990, na versão original da TV Manchete: o preconceito do protagonista Zé Leôncio pelo jeito do filho Joventino.

Na trama da TV Manchete, o pai era interpretado por Cláudio Marzo e Jove era vivido pelo Marcos Winter. Conforme a sinopse, Zé Leôncio rejeitava o filho que cresceu com a mãe no Rio de Janeiro e acreditava que ele era gay por não se adaptar ao estilo de vida pantaneiro.

Em 2022, de acordo com o enredo divulgado, a história permanecerá:

“Herdando o nome do avô, o jovem Jove (Jesuíta Barbosa) decide que passou da hora de conhecer o pai então viajará para o Pantanal. Outra vez, o choque de cultura acontece e pai e filho não se entenderão. José Leôncio (Marcos Palmeira) considera o filho afeminado e Jove se sentirá rejeitado pelo pai, além de ser ridicularizado pelos peões por causa de seu jeito de moço da cidade.

Decepcionado, Jove decide voltar para o Rio de Janeiro, mas leva com ele Juma Marruá (Alanis Guillen). Uma moça selvagem que viu a mãe, Maria (Juliana Paes), ser assassinada por uma briga por terras na cidade de Sarandi, no estado do Paraná. Arredia, tal como a mãe, Juma vira a própria onça-pintada quando está com raiva”.

Para evidenciar a “urbanização” ou “modernização” de Joventino, a TV Globo usará um acessório ainda mais ousado, bem diferente da caracterização do personagem original, vivido por Marcos Winter. Na versão da TV Manchete, Jove usava trajes convencionais de um rapaz da cidade grande e tinha o cabelo mais “penteado” que os pantaneiros. Veja:

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Novela Pantanal (@novelapantanal)

Já no remake da Globo, a situação ficará mais explícita: a Globo montou o Joventino de Jesuíta Barbosa caracterizado com um brinco de argola em uma das orelhas. O filho de Zé Leôncio também aparecerá com os cabelos levemente tingidos de loiro — tudo que deixará seu pai furioso. Confira:

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Alanis Guillen (@glowalanis)

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por arquivos @jesuitabarbosa (@artsjesuita)

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Remake Pantanal (@remakepantanal)

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Ricardo Luis Martins (@ricardoluismartins1)

“Foi difamado”

Colunista de TV, Jeff Benício evidenciou em publicação no portal Terra a trajetória de abordagens homofóbicas do autor Benedito Ruy Barbosa, criador de “Pantanal”. Ele destacou o caso da Manchete.

“Enquanto isso, o protagonista de ‘Pantanal', José Leôncio (Claudio Marzo), exalava preconceito. Ele maltratava o filho, Joventino (Marcos Winter), por acreditar que o rapaz criado apenas pela mãe no Rio de Janeiro era gay”, explicou Benício.

“O fazendeiro rejeitava a afeição do rapaz. Acabou expulsando o herdeiro de casa. Na verdade, o arrojado Jove era heterossexual e apaixonado pela ‘mulher-onça' Juma (Cristiana Oliveira). Foi difamado pelo próprio pai apenas por não personificar a imagem do macho rústico. A nova versão de ‘Pantanal' está sendo escrita por Bruno Luperi, neto de Benedito. Resta conferir se a homofobia de Zé Leôncio será mantida na adaptação”, indagou o jornalista.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Pantanal (remake Rede Globo) (@pantanal_remake)