MANHÊ: unidas pelo rock, mãe e filha compartilham parceria que vai além do laço familiar

Primeira reportagem especial traz a história da mãe Sandra, uma roqueira nata
| 06/05/2015
- 13:10
MANHÊ: unidas pelo rock, mãe e filha compartilham parceria que vai além do laço familiar

Primeira reportagem especial traz a história da mãe Sandra, uma roqueira nata

Em comemoração da data em que se celebra o , o MidiaMAIS preparou uma série de reportagens que vai homenagear aquelas que são a razão do sorriso acalorado e espontâneo de seus filhos.

Guerreiras, divertidas, rígidas, postiças… todas as mães. Até domingo – o dia delas, contaremos histórias, vivências, particularidades e as dificuldades de ser mãe nos dias de hoje.

Cabelos compridos de tom avermelhado, maquiagem pesada e um estilo pra deixar qualquer ‘novinho no chinelo’. A banda preferida? O clássico Led Zeppelin. Enganam-se quem pensa que estamos falando de alguma jovem adolescente.

Nossa primeira entrevistada da série ‘MANHÊ’ é a historiadora Sandra Marcato, de 49 anos, roqueira e grande influenciadora musical de sua filha, a assistente administrativo Maila Marcato, 26, e do funcionário de telecomunicação, Felipe Marcato, 28.

Durante uma conversa bem-humorada e cheia de lembranças, mãe e filha se unem e voltam ao passado para resgatar detalhes de uma parceria que visivelmente deu certo. “Eu ouço rock desde que me entendo por gente, e sempre coloquei para os meus filhos ouvirem, costumo dizer que eles já ouviam música desde quando estavam na barriga”, brinca Sandra, a mãe.

Black Sabbath, Raul Seixas, Led Zeppelin, Iron Maiden, Metálica e ACDC, são nomes que não podem faltar na playlist e na balada da ‘Mami’, forma carinhosa como Sandra é chamada pela filha que, em muitos momentos, torna-se companheira das noitadas.

“Pelo menos uma vez por mês nós saímos pra balada, barzinhos que tocam rock e fazemos um programa só nosso. Ela parece mais minha amiga do que minha mãe”, observa a filha orgulhosa pela forma descontraída e irreverente da mãe moderna.

“Eu não saberia lidar com uma mãe que fosse diferente do que a minha é. Temos conversas abertas, não nos sentimos constrangidas ao tocar em assuntos delicados. Somos realmente parceiras”, dispara Maila.

Preconceito

Em uma lembrança não tão alegre de sua vida, Sandra diz que já sentiu na pele o preconceito da sociedade em relação a aquilo que se distancia do convencional. “Hoje em dia a coisa é bem mais tranquila, a diversidade é ampla, mas no início fui chamada até de árvore de natal e tive que aguentar muitas piadinhas, porém, sempre relevei”.

Questionada sobre a forma que escolheu para educar Maila, Sandra revela que independentemente do gosto musical ou de seu estilo de vida, a boa educação e bons exemplos aos filhos, foram temas que até hoje, nunca saíram de pauta.

“É preciso ter uma postura cuidadosa no convívio com as crianças, nunca fui desleixada e sempre incentivei que meus filhos absorvessem culturas e levassem uma vida correta”, afirma a mãe que lembra ainda que, até hoje, amigos dos filhos revelam o desejo te der uma mãe com o perfil semelhante ao dela.

Mãe baladeira, roqueira, amante de roupas escuras, camisetas de banda, artigos musicais e um estilo todo particular de viver, educar e influenciar os filhos. Independentemente da forma como se apresente, um tanto diferente do convencional, o espírito materno de ser não se distancia da mulher.

Após a entrevista ao MidiaMAIS, quando já não estava mais na presença da filha, a roqueira de aparência forte e inatingível, revela o lado doce de ser mãe. “Olha! Minha vida ficou bem mais interessante com a chegada dos meus filhos, não tenho nem como explicar. Eles foram crianças ótimas e se tornaram adultos ótimos. São preciosos”, emociona-se.

Veja também

O ator contou que irá sair das redes sociais e não deu prazo de retorno

Últimas notícias