Geral

Com utilização de mão-de-obra de detentos, governo economiza R$ 1 milhão

Parceria entre governo do Estado e Poder Judiciário tenta ressocializar detentos 

Thatiana Melo Publicado em 23/02/2015, às 13h59

None
pintando.jpg

Parceria entre governo do Estado e Poder Judiciário tenta ressocializar detentos 

Depois de dois meses de reformas, a escola Estadual Padre Mario Blandino, no Bairro Aero Rancho, foi entregue na manhã desta segunda-feira (23), com trabalho de 14 internos da parceria firmada entre o governo do Estado e o Poder Judiciário “Pintando Educação com Liberdade”.

“O governo do Estado, com ações como esta, tem economizado R$ 1 milhão em recursos, que podem ser aplicados em outras áreas prioritárias”, afirma o governado do Estado, Reinaldo Azambuja. O juiz da 2° Vara de Execuções Penais, Albino Coimbra Neto, ressaltou a importância de ações como esta: “É uma valorização dos profissionais de educação, e é muito importante por que aqui é que tudo começa”, fala o juiz.

A escola estadual é a terceira a receber o projeto, e a primeira entregue neste ano. A reforma da escola custaria aos cofres públicos R$ 20 mil, mas foram custeadas com parte dos salários dos presos do semi-aberto, que também tem redução na pena, a cada 3 dias trabalhados 1 dia na pena é reduzido.

Marcelo Dias, de 37 anos preso por tráfico de drogas e sentenciado a 23 anos de regime fechado, já cumpriu 12 anos da pena, sendo 3 em regime semiaberto. “É bom este projeto, que além de ajudar a sociedade também importa para nós reeducandos. É gratificante poder contribuir e ver o resultado”, fala Marcelo.

As reformas na instituição de ensino foram feitas na rede hidráulica, elétrica e pintura. “Trabalho importante feito com dedicação, humildade e respeito”, ressaltou a diretora da escola, Marilene Dias.

“Resultado grandioso, um trabalho de ressocialização de alguém que já cometeu erros”, finaliza o presidente do Tribunal de Justiça do Estado, João Maria Lós.

Jornal Midiamax