Será pedida nesta segunda-feira (13) a prisão preventiva de Anderson César Firmino, de 24 anos, acusado de matar a pedradas a ex-companheira Laida Andréia Samulha Romualdo, 35 anos. Ele foi detido e conduzido à Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher (Deam) para prestar esclarecimentos pelo 10º Batalhão da Polícia Militar, na casa da mãe, no bairro Parque de Lageado, em Campo Grande.

Andréia morreu na quinta-feira (9) na Santa Casa. Segundo a polícia, a mulher foi ferida a pedradas no dia 31 de dezembro pelo ex-marido, as pedras teriam atingido o braço e o abdômen. De acordo com informações da perícia, a causa da morte foi septicemia, que é uma infecção generalizada causada por bactérias que infectam o sangue.

De acordo com a delegada titular da Dean, Rosely Molina, a prisão preventiva de Anderson será pedida e ele poderá responder por homicídio ou lesão corporal seguida de morte “Estamos iniciando a investigação e colhendo os depoimentos. O boletim de ocorrência só foi registrado na sexta-feira e por isso estamos trabalhando”, afirma.

De acordo com Molina, todo o desentendimento no fim do ano teria acontecido por conta de R$ 50 que Andréia teria recebido da mãe de Anderson para comprar brinquedos para os filhos dela.  “Ele queria o dinheiro de volta, e por isso jogou as pedras nela”, fala.  Andréia deixou seis filhos.

Histórico de violência

Andréia já tinha registrado dois boletins de ocorrência por ameaça contra Anderson. O primeiro foi registrado e depois retirado pela própria vítima e o segundo foi concluído em setembro. O homem também tem passagens por porte de armas e já foi preso. Anderson também seria usuário de drogas.

Outro lado

Segundo a mãe de Anderson, a serviços gerais de 41 anos, que não quis se identificar, o relacionamento entre os dois era conturbado. “Ela ligava para mim, dizendo que tinham encontrado o corpo do meu filho. Ligava atazanando ele e eles já tinham se separado”, fala a mãe

Ela também afirma que a maioria das brigas eram causadas por ciúmes dos dois. Ela teria ciúmes dele por Anderson ser mais novo e ele teria ciúmes de Andréia por conta da “atenção” que ela chamava de outros homens.

“Ela gostava de sair, sempre muito extrovertida, e ele tinha ciúmes, mas ele dizia que amava muito ela, que era apaixonado por ela. Era uma vida de horror”, garante. 

A mulher de 41 anos disse que viu o filho depois da agressão. “Ele apareceu às 5 horas da manhã na minha casa, todo cheio de sangue, e disse que tinha caído de bicicleta por que tinha bebido muito, mas eu não acreditei e fui investigar e descobri a agressão”.

A mãe do rapaz fala estar muito preocupada. “Eu não consigo dormir, eu não consigo comer. Eu estou completamente sem chão. Muito abalada. Só consigo pensar nela, nos filhos dela e na vida do meu filho”, fala.