A Globo avisou a seus autores e diretores que Mateus Solano vai curtir férias durante todo o ano de 2014. Mas não adiantou. Já há uma fila de interessados no ator, que descansa imagem depois do marcante Félix de Amor à Vida, encerrada em janeiro. Três produções previstas para 2015 (duas novelas e uma série) já se candidataram a ter Solano.

Outra atriz “em férias” que está sendo requisitadíssima na Globo é Adriana Esteves. Depois da Carminha de Avenida Brasil, ela ganhou dois anos de descanso de imagem. A Globo já decidiu que ela volta só em 2015. Também já há uma fila de pedidos, tanto de novelas quanto de séries cômicas.

Debora Falabella, a Nina de Avenida Brasil, volta ao ar antes. A Globo já a liberou para duas produções: a série Dupla Identidade, de Glória Perez, no ar no quarto trimestre deste ano, e um novo projeto de Guel Arraes, uma comédia para a programação de 2015.

O alto interesse de autores e diretores por Mateus Solano e Adriana Esteves reforça uma constatação: fazer vilão hoje pode ser mais gratificante e bom investimento profissional do que mocinhos. Mas isso não é regra. Atores cômicos ou com alto apelo de sedução do público, como Caio Castro e Cauã Reymond, também são disputadíssimos.

Segundo um alto executivo da Globo, o modelo de produção da emissora, com séries em temporadas curtas, gerou uma “disputa insana” por elenco. Tatá Werneck, por exemplo, que acaba de ser conquistada por Lady Marizete, novela das sete que estreia no segundo trimestre de 2015, estava sendo pedida por cinco projetos.

Nesses casos, a Globo agora adota alguns critérios, respondendo a essas perguntas: 1) qual o melhor projeto para o momento profissional do ator? 2) qual o personagem mais adequado? e 3) qual o espaço a ser ocupado pelo ator na produção? Infelizmente, para os atores, nem sempre as respostas a essas questões incluem um vilão como Félix ou Carminha.