O julgamento do cantor canadense Justin Bieber em Miami foi novamente adiado, pelo menos até agosto, informou um de seus advogados nesta quarta-feira (16). Justin é acusado de dirigir sob a influência de substâncias tóxicas, resistir à prisão e dirigir com a carteira suspensa em Miami Beach, no dia 23 de janeiro, quando participou de um racha em uma Lamborghini.

“Esta manhã, ambas as partes solicitaram uma prorrogação”, indicou o advogado Mark Shapiro a jornalistas após uma breve audiência em um tribunal de Miami, Flórida. Na audiência, à qual a estrela de 20 anos não compareceu, as partes concordaram em se reunir novamente no tribunal em 5 de agosto para analisar “o status do caso, onde estamos nesse momento”, segundo Shapiro.

Bieber estaria negociando um acordo para evitar ir a julgamento, inicialmente previsto para março, mas adiado várias vezes. O cantor se declarou inocente. A polícia ainda declarou que Bieber tinha fumado maconha e tomado pílulas de Xanax antes de sua prisão por condução perigosa sob a influência de álcool ou drogas.

O astro já soma uma grande quantidade de problemas com a justiça nos últimos tempos. Ele foi condenado na semana passada a dois anos de liberdade condicional e uma multa de US$ 80.900 (cerca de R$ 179.000) por ter atirados ovos na casa de seu vizinho em Los Angeles em janeiro.

No início deste ano, ele também teve que se apresentar à polícia de seu país para responder por uma suposta agressão a um motorista de limusine que ele havia contratado.